Sunga de Neymar - Fifa acusa Blue Man de marketing de emboscada

sungabluemanneymarfifa

Foto - AFP/Reprodução

A Fifa notificou extrajudicialmente uma marca brasileira de moda-praia por uma sunga. No jogo do Brasil contra Camarões no último dia 23 de junho, Neymar teria deixado à mostra a peça de roupa em dois momentos da partida. As fotos fizeram sucesso no Facebook, no Twitter e no Instagram nas páginas da marca. Só tem uma problema: a Blue Man não é patrocinadora da Copa.

A grife carioca é acusada de "marketing de emboscada" e de "intrusão" por ter utilizado reproduções de TV da partida para campanhas divulgadas na internet pela Blue Man. A marca teria assim burlado a Lei Geral da Copa, que proíbe empresas não patrocinadoras de praticar ações de marketing durante os jogos.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, a dona da Blue Man, Sharon Azulay, contou que não foi isso que aconteceu. "Enviamos modelos da sunga para os 23 jogadores e, por sorte, o Neymar usou a sua. Eram presentes", afirma.

A empresária ainda acrescentou que a notificação foi recebida e respondida pela empresa na segunda (30), e que não tem a ver com marketing de emboscada porque o nome da empresa não aparece. A sunga é estampada com a bandeira do Brasil, e nas imagens não é possível reconhecer a Blue Man.

O jornal Estadão conta que a sunga ganhou o nome de "da sorte" e foi exibida no intervalo e depois novamente no fim do jogo, quando Neymar tirou a camisa para comemorar a vitória. E ai, será que a "sunga da sorte" vale tanta polêmica?


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: copa do mundo neymar sunga