Saia plissada - feminilidade em alta!

Saia plissada  feminilidade em alta

Johara Mattos Cappuccinho. Foto/Reprodução site Lookbook

Nos anos 50, a belíssima Marylin Monroe deu o que falar ao estrelar o filme "O Pecado Mora ao Lado". Usando um vestido branco de saia plissada que voa com o vento que sai do escapamento do metrô, a loira deixou sua marca no cinema. E na moda também, claro! Isso porque com a volta deste modelo de saia é impossível não se lembrar da atriz e da cena.

Com a força do movimento Lady Like, que visa salientar a feminilidade, a saia plissada saiu do armário e votou a ocupar lugar de destaque nas ruas e vitrines. "O plissado dá uma ar de muita feminilidade à roupa. É leve, jovial e tem um arzinho retro, que é muito bem-vindo na moda atualmente", comenta a consultora de moda Gladis Viviane.

Na opinião dela, a saia plissada pode frequentar o guarda-roupa de mulheres de todas as idades. Mas cuidado: "As mais maduras devem evitar os modelos muito curtos. A barra um pouco acima do joelho é elegante e à prova de erros", orienta. "As confeccionadas em tecidos mais nobres, como seda e chiffon, podem ser usadas em festas sem medo".

E uma dica para as moçoilas que possuem quadril muito largo: "O plissado gera volume, aumentando a região. Porém, se a peça for de um tecido leve e maleável, que não fique muito armado, pode funcionar até em quadris maiores. Principalmente se a cor for escura. O segredo é se conhecer e consultar com muita calma o espelho."

Saia plissada  feminilidade em alta

Tayla Ayala. Foto/Reprodução Photo Rio News

A saia plissada pode ser usada em todas as cores, lembrando que os tons claros ampliam a silhueta e criam volume, enquanto as mais escuras exercem o efeito contrário. "Em relação ao comprimento, temos três principais modelos: o curto, o longo e o midi, popularmente conhecida como longuete, que fica no meio da canela. É supermoderno, mas muito perigoso, pois achata a silhueta. Por isso as baixinhas devem passar longe do midi!", aconselha Gladis.

Outro modelo de saia plissada que tem feito sucesso é o transparente. Para usá-la, opte pelas lingeries cor da pele e de preferência sem costura, para não marcar. "Outra sugestão bacana é usar anáguas - saias em tecido levinhos, geralmente com uma linda barra de renda, para usar por baixo de saias e vestidos, inibindo a transparência. Muita gente hoje nem sabe o que é isso, mas no tempo das nossas avós, essas sainhas faziam parte do conjunto obrigatório de lingerie. Era calcinha + sutiã + anágua", diz a consultora.

Entre as combinações possíveis, Gladis indica t-shirts e regatas para visuais mais despojados, camisas para momentos elegantes e tops de seda ou com brilhos para festas e baladas. "Nos pés, oxfords, sapatilhas, anabelas e sandálias delicadas", acrescenta.


E se você não pensa em adquirir uma saia plissada com medo da moda ser passageira, é bom repensar: "A onda de feminilidade que invadiu o mundo fashion não vai passar tão cedo. Então todas essas peças ‘de mulherzinha’ vão ter destaque por muitas temporadas ainda", conclui Gladis.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente