Paulo Borges fala das novidades no SPFW

Paulo Borges fala das novidades no SPFW

Paulo Borges/ Divulgação

A contagem regressiva para o São Paulo Fashion Week já começou. Fashionistas, estilistas, loucos por moda, famosos, anônimos, todo mundo quer saber o que vai rolar nos pavilhões da Bienal, no mês de junho, na semana de moda mais importante do país.

E a edição de verão promete muitas novidades. Paulo Borges, diretor do evento, afirma que essa será a maior edição da história dos SPFW. “É a primeira vez que a semana de moda começa sem desfiles. Os dois primeiros dias têm uma programação diferente, muito ligada à moda”, antecipa.

Esta edição traz também a maior mudança arquitetônica desde que o SPFW está no prédio da Bienal. Os espaços estarão ocupados de maneira diferente e até os materiais são diferentes, tudo baseado em tradições francesas. “Há espelhos, veludos, muitas imagens, sempre com o olhar brasileiro”, comenta.

Este ano, o SPFW faz parte do calendário oficial do Ano da França no Brasil. E por isso, o evento estará respirando ares franceses. No dia 15 de junho, por exemplo, vai acontecer uma aula magna com Didier Grumbach, presidente da Federação Francesa de Costura. No dia 16, a homenagem é para Bethy Lagardère, a franco-brasileira que virou ícone da moda.

A MAG, revista oficial do evento, terá duas edições este ano: Passion e Paixão. “‘Passion’ é totalmente dedicada à Bethy, mostrando sua trajetória desde que saiu do Brasil até hoje. Já a ‘Paixão’ tem editoriais diferenciados, inclusive um de 64 páginas sobre o processo de criação da alta costura francesa, da inspiração, passando pelos desenhos e por toda construção, a reportagem mostra os bastidores da Maison Chanel de forma exclusiva para a MAG!”, conta.

Bethy Lagardére foi escolhida devido sua trajetória no mundo da moda, tanto na França como no Brasil. “Ela é uma pessoa que viveu e vive a moda como ninguém. Tem uma coleção de alta costura sem igual, traz uma história fantástica”, fala Paulo.

Mesmo brasileira, Beth morou na França e sintetiza bem a admiração de um país pelo outro. “Em suas festas e recepções, mistura pão de queijo, caviar, guaraná e champanhe, de uma forma única e elegante”, lembra Paulo.

Tanto amor e sintonia resultaram numa exposição especial, para o SPFW, com peças de alta costura dela, com criações de Yves Saint Laurent, Karl Lagerfeld (para Chanel e marca própria), Jean Paul Gaultier, Givenchi, Dior, Pierre Cardin, Balenciaga e muitos outros. A exposição vai estar na Bienal durante a semana de moda e depois ficará 15 dias no Shopping Iguatemi, em São Paulo.

Além da exposição sobre a vida de Bethy, haverá ainda a da Federação Francesa de Alta Costura, com criações de oito estilistas da nova geração de criadores - incluindo o brasileiro Gustavo Lins. “Essa exposição estará bem na entrada da Bienal, com um formato circular e poderá ser vista por pessoas que não irão assistir os desfiles”, diz.

Haverá também exposição da estilista francesa Sakina M’as, que estabelece uma relação entre associações de mulheres na França e no Brasil a partir da customização de peças criadas por ela.


No meio de tanto filmes, festa, livro, revistas, exposições, muita moda. A ideia é transformar o SPFW deste ano numa plataforma onde manifestações que convergem para a moda estejam juntas, sintonizadas. Vale acompanhar a cobertura completa aqui no Vila Fashion. O evento vai até o dia 23 de junho.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente