O que rolou no primeiro dia de Fashion Rio

O que rolou no 1º dia de Fashion Rio

Desfile Cantão. Foto: AgNews

Iniciada a temporada de moda! A 20ª edição do Fashion Rio teve início ontem, terça-feira (10). No line up, as coleções de Alexandre Herchcovitch, Acquastudio, Patachou, Alessa e Cantão. A consultora de moda Bia Kawasaki viu tudo e fala sobre cada um dos desfiles:

Alexandre Herchcovitch

Uma coleção em clima de Black Music da década de 80. O estilista abriu seu desfile com peças que eram a cara do inverno carioca: modelagens estruturadas em tecidos inteligentes (com ares de emborrachados e impermeáveis), blusas oversized (com recorte em "U" invertido nas laterais deixando a barriga de fora) e blusas de mangas 2/3 que davam ares de brincadeira a hot pants e cigarretes justíssimas. As cinturas marcadas relembraram as divas pop oitentinhas. Neste clima de Rock Abillity não poderiam faltar a taxas e as jaquetas de couro.

Também estavam lá a cintura alta e as rendas (lindamente trabalhadas nos corselets). O deep blue jeans mostrou que Alexandre aposta nas referências que se tornaram um clássico na época, eles vieram acompanhados dos tricots manuais oversized e das jaquetas de motoqueiro (com golas confeccionadas com pele de carneiro falsa). O Gran Finale foi garantido pelas estampas lindíssimas: "Respingos de Tinta Fresca", segundo o próprio Alexandre, com pinta de camuflagem em tonalidades azul, caramelo e verde limão em macacões tomara que caia, jaquetas sem mangas, calças slim fit, vestidos acinturados e saias tulipa curtas.

Grafismos como o poás e o liberty inspirados na obra de Jean-Michel Basquitat inovaram as peças com modelagens mais básicas. Abotinados camelo e preto, de cadarço e salto plataforma de acrílico, trouxeram à coleção do Alexandre um ar ainda mais despojado e descompromissado. Bolsas mochila e estilo saco assinalaram o retorno inegável das maxi-bolsas que combinaram perfeitamente com as perucas so Black Power e os óculos maxi redondos. Mas será que todo este revivel 80´s vai mesmo pegar?  

Acquastudio

A estilista Esther Bauman mergulhou no passado e buscou inspiração em grandes momentos da moda, com ênfase nos anos 1940/50. Com trilha sonora da saudosa Amy Winehouse, o desfile foi lindo e muito romântico.

Com cartela de cores em tons de ameixa-prune, cobalto, cacau, cor de pele, cobre, dourado e framboesa, vestidos muito justos e saias lápis de cintura alta em comprimento midi (aposta fortíssima para a próxima temporada) ganharam sofisticação e glamour tecidos artesanais em mohair, lã, crepes com foil e rendas. Apliques de flores e também silks, laminados e elementos vazados (lembrando o jackard) em tecidos tecnológicos.

Para o arremate, seda pura, organza e tule, ora em blusas de golas altas, ora em vestidos transparentes, dando leveza à coleção. As mangas 2/3 apareceram aqui também, mostrando que o próximo inverno será com certeza muito jovial. Com assinatura de Fernando Pires, ankle boots caramelo de camurça de cabra com amarração tipo coturno (outra aposta esperta para a temporada) ganharam ares muito fashion com meias brilhantes (ou eram tornozeleiras) bordadas em paetê.

Patachou

Com inspiração oriental e sob a tutela de Sandra Pires e Luiz Stangherlin, a grife apresentou uma coleção de inverno fresca. As modelos pisavam delicadamente sob sandálias de tiras finas (no inverno!) e salto agulha trajando vestidos e blusas inspirados em kimonos japoneses e conjuntos de camisões de seda com gola alta e reta acompanhados por calças retas e soltas lembravam os saris indonesianos.

O tom brilhante da cartela de cores dourada, prata, preto, vermelho pitanga, amarelo ouro, ocre e ameixa deram vida aos tecidos tecnológicos que imitavam perfeitamente o zibeline, o cetim, a seda e o tafetá, dando ares de noite à coleção.

A modelagem assimétrica de saias mais curtas e arredondadas na frente em profundas fendas e, em contraponto, mais longas atrás, acompanharam blusas oversized, acinturadas por faixas largas e outras vezes muito soltas ao corpo com mangas morcego curtas 3/4, mangas trapézio 2/3 e decotes (redondos e retangulares) que se convertiam em palas interteladas nas costas.

O brilho também apareceu nos decotes e nos barrados bordados em paetê, nas estampas bambu vermelhos e preto e, coincidência ou não, os tecidos emborrachados também estiveram presentes nesta coleção.

Alessa

Em clima étnico e ambiente rústico, a estilista Alessa expôs sua inspiração na "sinuosidade das plumas e na geometria dos tapetes" e apresentou sua linda coleção chamada "Céu na Terra". A cartela de cores vem com ocre, marrom, laranja, azul celeste, marinho e cinza, enriquecendo estampas pra lá de tribais. Aqui, a estilista pode comprovar que quando o assunto é combinar estampas diferentes entre si ela é catedrática!

Macacões retos, blusas e calças confortáveis e recortes inusitados ganharam ares texturizados através de tecidos como seda, tricô, jacquard, linho e lã. Alessa propõe blusas e vestidos de uma manga só e que se misturam com o corpo da roupa. De tão amplas que são, deixam os ombros do lado oposto completamente nus, dando uma atmosfera muito sensual ao look.

Quanto aos calçados, ela apresenta para o inverno 2012 ankle boots de camurça em tons pretos e caramelo em maxi saltos "anabela" de cortiça (tendência que vem para ficar).

Cantão

Em clima de desleixo cool, o Cantão propõe "olhar para dentro sem ter medo de ver o que tem dentro" com muito conforto e casualidade. A proposta é falar de um casulo ao avesso, a metamorfose, transformações que ocorrem em cada um de nós e no ambiente que nos cerca.

A coordenadora de estilo Lanza Mazza quis explorar materiais como o tricô de seda rústica, lã, tecido de alfaiataria masculina, couro, palha de seda bordada (com brilho) e a gaze de linho para confeccionar os looks do desfile, sem perder o despojamento e leveza da marca.


As formas são arredondadas (costas de paletós em formato exato de casulo, dando ar "literal" à coleção), às vezes volumosas, calças amplas, avessos em evidência e muitas sobreposições.

Ainda se falando de modelagem, a estilista atualiza a modelagem com os bolsos retos e (quase) frontais, que serão promessa para o próximo inverno. O volume está em quase tudo: nos tricôs, nas maxi golas, maxi cachecóis. As medidas de contrapeso foram as meias fio 90. A cartela de cores traz o off-white, taupe, verde floresta, amarelo, caramelo queimado, chumbo, azul intenso e o vermelho aberto.

Comente