O que muda com as novas medidas de roupas?

O que muda com as novas medidas de roupas

Atire a primeira pedra quem nunca teve vontade de comprar a parte de cima de um conjunto e a parte de baixo de outro por causa do tamanho! O ruim é que, muitas vezes, isso não é possível. Pelo menos por enquanto. Tudo porque o padrão de medidas para roupas femininas que conhecemos aqui no Brasil está com os dias contados. A partir desse mês fabricantes e lojistas iniciam os debates sobre as novas medidas, mudança que pode entrar em vigor ainda em 2011.

Para a consultora de moda Bia Kawasaki, "o padrão com certeza será instrumento facilitador na hora da compra de peças para o próprio guarda roupa ou na hora de presentear alguém. Haverá uma mudança de hábitos. Teremos nossas medidas anotadas em uma agenda, por exemplo."

Dentre as principais mudanças está o padrão que pode substituir as numerações atuais das roupas. Ele será mais complexo, pois vai contar com nada menos que 22 medidas. Mas calma. As já conhecidas por aqui devem coexistir com as novas nas etiquetas, por enquanto. Só após alguns anos é que devem ser totalmente banidas.

Outra coisa: os conjuntos de duas peças serão vendidos separadamente. Hoje, algumas lojas já oferecem biquínis com peças avulsas, e isso deve ser expandido para terninhos, tailleurs, etc. Agora, quem tem o busto maior e quadris menores - ou vice-versa - vai encontrar menos dificuldades na hora das compras.

Apesar de ser novidade no Brasil, o sistema de medidas existe na Europa e Estados Unidos há décadas. "O objetivo claro é acertar com mais exatidão a relação entre modelagem plana e biotipo real dos consumidores", acredita Bia. "Esta medida facilitará as vendas como um todo, principalmente o comércio de vestuário on line, e também desafogará o trânsito nos provadores (lojas de biquínis e lingerie não precisarão mais deles, ponto positivo para a higiene!)", completa.

Já para os fabricantes, a notícia não é tão boa assim. A expectativa é que, no começo, haja um aumento de custo no sistema de produção, principalmente no quesito modelagem/estoque. A dica para eles é pesquisar a diversidade corporal de suas clientes e começar as adaptações.


Veja, abaixo, uma lista com as medidas que devem entrar em vigor em breve:

Estatura: De acordo com o presidente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), essa é a medida mais importante. Será considerada para a fabricação da maioria das peças.

Ombro a ombro: A medida vai de uma extremidade a outra das costas. Será fundamental na fabricação de blazers, blusas e vestidos.

Comprimento do braço: Será considerado em blazers e camisas.

Busto: Será levado em conta para as seguintes peças: blazers, blusas e vestidos.

Quadril: Precisará ser medido para a escolha correta de vestidos, calcinhas, saias, calças e bermudas.

Cintura: Também será importante para a compra de vestidos, calcinhas, saias, calças e bermudas.

Perna: Medida responsável pelo tamanho da lateral da calça.

Frente e verso: Para a produção de blazers.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: moda fashion