O mundo mágico tricô

O mundo mágico tricô

Foto: John Scarisbick.

No mundo da moda, conquistar um lugarzinho ao sol é tarefa complicada. Às vezes, nem muito talento angaria aplausos da crítica, bombardeada com um sem número de novos profissionais. No meio da guerra fashion, Sandra Backlund ecoa diretamente da Suécia.

Formada em Desenho de Moda pela faculdade de Design Beckmans, em Esotocolmo, ele sacudiu o mundo fashion com suas criações em tricô. Premiada e cheia de clientes especiais, já colaborou com grifes como Louis Vuitton e criou para a famosa loja de departamentos francesa Printemps.

Há pouco tempo, a editora-chefe da Vogue italiana, Franca Sozzani, convidou Sandra para a criação de uma coleção especial para o Projeto Protégé, onde nomes já consagrados do mundo da moda apadrinham novos talentos.

O diferencial de Sandra está no apreço pelo artesanato têxtil. "Meu trabalho é muito pessoal. Eu improviso e me permito perder o controle para ver o que acontece", define. Cheia de técnicas variadas, ela constrói peças especiais, tramadas até que o desejado seja enfim criado. Admiradora da forma humana, a designer abusa dela para então criar seus modelos e moldes. "O corpo humano é sempre o ponto de partida. Eu sou mesmo fascinada pelas formas em como você pode destacar, distorcer e transformar a silhueta natural com roupas e acessórios".

O processo manual é mesmo muito importante para Sandra. Segundo ela, fabricar seu próprio tecido - a partir do tricô - é sinônimo de liberdade, além de um enorme desafio. "Eu me interesso por quase todo tipo de artesanato e eu experimento muitos diferentes materiais e técnicas, mas é minha colagem tridimensional é a mais importante pra mim", revela, falando dos pequenos pedaços de trama que costura até criar uma peça única.

[galeria]

A coleção para Primavera/Verão 2010 de Sandra foi a primeira dela a ser produzida industrialmente. Antes disso, tudo era feito manualmente e vendido sob encomenda. O desafio é agora fazer as peças únicas inspiradas no trabalho manual, mas com muito menos trabalho.

"Foi um grande passo para mim, sair do meu Studio, onde criava com as minhas mãos, para trabalhar com um time de experts. Eu estava muito entusiasmada com as possibilidades que vi, mesmo sabendo que nunca vou deixar de lado o trabalho manual. Agora eu vejo como desenvolver minhas coleções de um jeito que nunca imaginei ser possível".


Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente