Modelo com síndrome de Down quebra padrões de beleza

Para ser modelo, a garota perdeu 20kg com exercícios e uma dieta balanceada
modelo síndrome de Down

Foto - Reprodução/madelinesmodelling

Nos últimos anos, a carreira de modelo tem sido bem mais democrática quando trata-se de padrões de beleza. Porém, mesmo com um pouco mais de diversidade no ramo, ainda é difícil encontrar modelos com deficiência nas passarelas.

Com o sonho de conquistar seu lugar na indústria da moda, a jovem Madeline Stuart vem com muito esforço seguindo seu objetivo: tornar-se a primeira top model com síndrome de Down.


Segundo sua mãe, Rosanne, Madeline estava frustrada com o seu sobrepeso. O gosto por nadar e dançar motivaram a garota a emagrecer. Com a ajuda de Rosanne, Madeline conseguiu perder cerca de 20kg mudando sua alimentação e comendo melhor.

modelo síndrome de Down

Foto - Reprodução/madelinesmodelling

Depois da transformação a garota ganhou confiança extra e um novo sonho: ser modelo e inspirar outras garotas com síndrome de Down a seguirem seus objetivos sem medo de ser feliz!

modelo síndrome de Down

Foto - Reprodução/madelinesmodelling

Segundo o jornal britânico 'Mirror', a jovem australiana quer que outras pessoas com síndrome de Down saibam que ela vê a condição genética como uma bênção. Sua mãe Rosanne concorda com a afirmação: "Eu me sinto tão abeçoada por ter uma filha como Maddy, eu ganhei na loteria quando ela nasceu", disse.

modelo síndrome de Down

Foto - Reprodução/madelinesmodelling

Além de tirar belas fotos, a garota adora jogar basquete, fazer exercícios em geral e ser líder de torcida. A jovem que tem uma fanpage no Facebook, é muito ativa nas redes e já tem vários fãs: "Acho que já está na hora das pessoas perceberem que pessoas com Down também podem ser bonitas e sexy", disse.

modelo síndrome de Down

Foto - Reprodução/madelinesmodelling

Maddie ainda está apenas começando, mas a determinação da garota já mostra que pessoas com deficiência são cheias de talentos e capacidades incríveis. Para vê-los basta abraçar a diversidade!

Por Thamirys Teixeira

Comente

Assuntos relacionados: síndrome de down modelos