Moda bicho

Moda bicho

Bolero Ronaldo Robim. Foto: divulgação

Estação vai, estação vem, mas a moda bicho parece mesmo ter conquistado seu lugar. Estampas de oncinhas, girafas, zebras, passarinhos e até cachorros fazem a alegria de qualquer visual. E têm aparecido nas semanas de moda com a mesma frequência que surgem nas ruas e vitrines. Às vezes, numa peça ampla, para as mais estilosas. Mas vale num detalhe de lenço ou cinto se você for mais discretinha. A única regra é levar a bicharada para dentro do guarda-roupa mesmo.

O estilista Ronaldo Robim, super adepto da estampa, garante que elas são atemporais mesmo e sim, estão sempre na moda. "Enquanto escurecem no inverno, ficam claras no verão", ensina. Para combinar essas figuras fáceis dos armários sem errar, basta unir o básico aos bichos e está tudo certo.

Mas é importante prevenir alguns looks para e não pagar um king-kong nas ruas. "Para não parecer que está na ala de uma escola de samba, opte por uma peça lisa e outra estampada. É mais confiável", sugere. E cuidado com o desenho que vai escolher. Vale optar pelas estampas mais estilizadas, sob o risco de parecer um bicho literalmente.

[galeria]


Se optou por uma roupa estampada, cuidado com os acessórios. "Ela já é demasiadamente chamativa. Então, o mais correto é não ‘carregar’ nos maxi colares e bijuterias com pedrarias grandes. Opte pelo neutro". Para o make, que não deixa de ser um acessório, vale a mesma regra. "A roupa já diz tudo. Então procure usar cores mais leves na maquiagem. Os looks mais carregados, que você vê nas passarelas, não são literalmente copiáveis no cotidiano", alerta Robim. "Cuidado para não parecer um bichinho da selva". Fora isso, bom senso aqui é a única regra.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente