Homem de saia?

Homens usando saia  o que você acha disso

foto reprodução: Facebook

Um estudante do curso de moda da USP causou polêmica recentemente por andar trajado de saia nos corredores da Universidade. Os olhares de curiosidade e estranheza já eram esperados, mas Vitor Pereira, de 20 anos, não esperava receber ofensas anônimas pelo Facebook. Esse e outros garotos do campus incorporaram a peça - até então exclusivamente feminina - no dia a dia, o que acabou gerando mais reações de preconceito.

Por conta disso, alguns estudantes estão organizando o "saiaço", um protesto no qual os alunos convocam os garotos a vestirem saias e as garotas a vestirem gravatas e outras peças de roupa atribuídas aos homens, com o intuito de promover um dia de reflexão sobre os estereótipos de gênero.

Os adeptos dizem que a saia não é uma peça de uso diário, mas apenas mais uma opção do guarda-roupa, que é muito confortável, principalmente em dias de calor.

É curioso notar essas reações de espanto, uma vez que a saia já foi um acessório tipicamente masculino, se formos analisar a história. Embora os homens ocidentais tenham abandonado a peça há mais de dois séculos, atualmente ¾ dos homens no mundo ainda usam saias, a grande maioria no Oriente.

Há mais de três mil anos os sumérios já usavam um tecido para cobrir as partes baixas; os antigos gregos usavam a toga e seus gladiadores vestiam saias. Para os homens romanos a calça chegava a ser um insulto, pois ocultavam suas pernas musculosas, que simbolizavam sua virilidade.

Ainda hoje essa vestimenta pode ser vista sendo usada por homens do Sudeste Asiático; também o sarong na Polinésia, o kaftane o djellabas no Oriente Médio, o hakama no Japão e o famoso kilt, na Escócia, que ainda é uma vestimenta bastante atual em diversos outros países.


É mesmo uma questão cultural, afinal, nós mulheres também já passamos por essa fase de transição e aceitação ao incorporar as calças exclusivamente masculinas no nosso guarda-roupa. E mesmo com todo o preconceito e nariz torcido da época, hoje a peça é bastante comum no nosso dia a dia. Não custa nada parar para refletir e ver as mudanças de hoje com um outro olhar, sem julgamentos. O que você pensa dessa questão?

Por Jessica Moraes

Comente