Gordinha pode tudo, sim, mas com bom senso

Gordinha pode tudo sim mas com bom senso

Blogueira Sakina, do blog Saks in the city

Esse modelo de roupa engorda, aquele só as magrinhas podem usar, enquanto esse outro é terminantemente proibido. Pois é, apesar de escutarmos muitas regras fashionistas por aí, as gordinhas podem usar tudo o que quiserem sim, e sem medo!

De acordo com a consultora de moda e imagem Érica Minchin, todo mundo pode e não pode tudo. Tem que ter bom senso. "Na consultoria, usamos algumas recomendações específicas para cada tipo de corpo, mas o importante é que a pessoa se sinta confortável sem ‘invadir’, de certa forma, o espaço do outro".

"Para as gordinhas, eu não recomendaria, por exemplo, peças muito curtas, ou muito decotadas que expusessem áreas complicadas do corpo, como a barriga. Mas também não recomendo que se cubram demais, já que quem está acima do peso tem o péssimo costume de usar peças ultra-largas achando que vão "esconder" algo. Na verdade, ao fazer isso, os quilos extras são multiplicados, já que o corpo vira um bloco sem forma definida", ensina.

Apesar de defender que as gordinhas podem tudo, a consultora afirma que investir em estampas corridas (como um vestido todo estampado, ao invés de uma saia estampada com uma blusa lisa) proporcionais ao tamanho - nem muito maior, nem muito menor. Isso porque usar duas peças de cores contrastantes (lisa + estampa) divide o corpo em blocos, o que faz com que o olhar do interlocutor corra na horizontal, achatando e alargando a silhueta, enquanto uma roupa inteira (um vestido estampado, por exemplo), o olhar corre na vertical, alongando e afinando.

Abusar das cores, em especial nos acessórios que ficam perto do rosto, chamando a atenção para essa região e, consequentemente, alongam o colo. Uma proposta atual e que fica bem interessante para quem está acima do peso são as peças com recortes laterais em cores mais escuras, que afinam o corpo. "Como disse anteriormente, todo mundo pode usar tudo, desde que tenha cuidado para não marcar, nem expor, áreas que não gostaria".

Se você é louca para usar as saias longas, hit da temporada, mas acha que é terminantemente proibido por estar uns quilinhos a mais, Minchin derruba o mito e explica: "a saia longa afina o corpo, mas o importante é escolher um modelo que caia com fluidez. Elásticos na cintura, bem como os tecidos plissados, tendem a criar volume na região, por isso são pouco recomendados. Evitar contraste entre a saia e a blusa também ajuda a manter a sensação de continuidade, ao invés de dividir o corpo em blocos - o que alargaria e achataria".

Para as meninas que acreditam que roupa preta é uniforme para quem está fora de forma, se a peça não for muito transparente, a cor não é um tabu, o modelo da peça conta muito mais. "É o que eu sempre pergunto: o que é melhor? Uma saia balonê preta ou uma saia reta branca? Não adianta usar uma cor escura se o modelo for cheio de detalhes e volumes, mas adianta usar um modelo que caia bem no corpo e que tenha recortes verticais e outros artifícios que afinem o corpo se a cor for clara. Basta lembrar do vestido que Octavia Spencer (foto abaixo) usou no Oscar - claro, com brilhos, mas ainda assim favoreceu o físico dela e a deixou mais elegante do que em outros modelos escuros que usou em outras premiações", lembra a especialista.

Gordinha pode tudo sim mas com bom senso

Octavia Spencer - Foto/Just Jared

Segundo Minchin, o ‘definitivamente proibido para as gordinhas’ não existe. "Eu defendo o ‘definitivamente confortável’, não só em termos de mobilidade, mas em termos de se sentir realmente bonita. A roupa te veste, não o contrário", diz a consultora que mostra que é possível ousar sem perder a linha, sim e dá alguns exemplos: "Beth Ditto frequentemente usa peças que não seriam aconselháveis para o tipo físico dela - como o bandage - e as usa super bem. A blogueira Sakina, do Saks in the city também vive postando fotos com peças ‘perigosas’, mas que ela sabe adaptar ao seu corpo e necessidades".

Então, sabe aquela roupa que você nunca usou por medo de errar a mão? Chegou a hora de resgatá-la do fundo do baú e desfilar toda linda e poderosa por aí!

Por Paula Perdiz

Comente