Das passarelas para as ruas

Das passarelas para as ruas

Desfile Juliana Jabour. Foto Reprodução/Site FFW

Mais uma São Paulo Fashion Week se inicia despertando mais vontades e reforçando os rumos que a moda tomará nos próximos meses.

É a 31ª edição e os desfiles mais conceituais ainda causam estranhamento aos olhares menos treinados. Já o consumidor comum ainda pensa "nossa, eu jamais usaria isso!".

É claro que você, vilamiga esperta, já aprendeu que coleção de semana de moda é diferente de coleção que vai para a loja e quais os pontos certos a se observar em um desfile, mas quer ver como isso realmente faz sentido?

Separei alguns exemplos do que vimos na última temporada e que agora estão nas ruas, nas araras e provavelmente no seu armário também!

Em janeiro, a versátil (e confortabilíssima) saia longa marcou presença em praticamente todos os desfiles - desde os mais conceituais até os mais comerciais. Em cada passarela, foi mostrada de uma maneira diferente - algumas marcas a trouxeram com uma aparência mais urbana, outras mais festivas, umas mais modernas e teve até quem propôs um uso mais clássico - e assim ficou marcada até que virou peça praticamente obrigatória no mix de produtos de qualquer loja, prometendo, aliás, continuar tão forte quanto no verão.

Ela reapareceu há algum tempo nas passarelas, mas de forma mais tímida. Quando os primeiros fashionistas desfilaram seus coletes e casacos pelos corredores da Bienal, no ano passado, muitos duvidavam se essa moda pegaria mesmo aqui no Brasil ou se seria algo limitado apenas aos ligados ao "mundinho"... Há seis meses, porém, na edição de inverno, a pele foi proposta em diversas coleções e hoje é encontrada até nas araras das lojas de departamento mais tradicionais. Falsa ou verdadeira, envolvida em uma grande polêmica ou não, ela deixou de ser item exclusivo do figurino de festa para dar as caras durante o dia - mesmo que em apenas um detalhe.

Se antigamente era "cafona" e todo mundo torcia o nariz, hoje a coisa mais interessante que uma pessoa pode fazer para atualizar o visual é misturar estampas e texturas. No começo, o consumidor comum olhava como se fosse "conceito de passarela", que apenas os estilistas mais inspirados propunham. Até que invadiu a maioria dos desfiles da última temporada e hoje não é inspiração limitada apenas às mais moderninhas.


Érica Minchin trabalha com pesquisa, criação e desenvolvimento de produtos em moda e ministra cursos e palestras sobre imagem e tendências. Ela ensina que aparência é a ferramenta de comunicação não-verbal mais poderosa e estimula explorar as melhores maneiras de fazer uso dela. Contato: contato@ericaminchin.com

Comente