Dá para se vestir bem gastando pouco?

sevestirbem

Foto: Big Cheese Photo/Corbis

Quem disse que não dá para se vestir bem gastando pouco? A cultura do ter mais do que ser se enraizou nos mais diferentes setores, mas nem por isso você é obrigada a se render a ela!

Existem, sim, marcas que cobram uma fortuna por uma peça de roupa, mas as lojas de departamento e os brechós espalhados pelo Brasil crescem a cada dia, na tentativa de mostrar que é bem possível andar linda e na moda sem deixar o bolso vazio.

Se você der uma boa pesquisada na internet vai ver que muitos blogs provam esse conceito no dia a dia. Um deles é o "Hoje Vou Assim Off", criado pela designer Ana Carolina Soares. Ela defende em seus posts que dá para se vestir bem e barato. Para isso, basta imaginação e ousadia.

"Esse pensamento - associar moda a peças caríssimas - é histórico. Tecidos naturais sempre foram sinalizadores de alta sociedade, hoje em dia uma peça com bom corte e tecido continua sendo sinal de status", comenta a blogueira que busca com seus posts dar uma versão mais leve para o que muita mulher define como moda.

A dificuldade que Ana encontra para disseminar a cultura do bom e barato é justamente esse pensamento milenar arraigado na sociedade. "As pessoas ainda dão valor a bolsas de grife, ostentação, gostam de reparar no que o outro tem... Falta a percepção de que moda é livre expressão, que devemos nos importar menos com o que temos e mais com o que somos."

A blogueira acredita que algumas lojas por aí vêm incentivando as pessoas a se vestirem bem sem gastar demais. Mas o escopo utilizado (desejo, necessidade e depois consumo) não é o ideal. A moda vai e vem numa velocidade assustadora e essa efemeridade dá o tom do exclusivo, o que acaba excluindo quem não a segue.


"Só que, com isso, ficamos todos iguais, sem personalidade, apenas seguindo e repetindo padrões. Cabe a nós pararmos essa roda ocasionalmente e saber bem a hora de investir em uma peça interessante, que traduza sua personalidade e dure", declara. "Moda é percepção. Portanto, transforme a percepção que o mundo tem de você mostrando personalidade e, antes de tudo, amando mais a você do que as roupas", finaliza.

Juliana Falcão (MBPress)

Comente