Vida modelo

John Casablancas

John Casablancas

Midas do mundo da moda, John Casablancas deu peso de ouro para modelos como Gisele Bündchen, Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Naomi Campbell e Isabella Rosselini. Ele as descobriu e lançou no mundo das passarelas. A lista de outras super mulheres que já cruzaram a vida dele é enorme - e de matar de inveja qualquer homem.

Mas Casablancas, criador de uma das mais famosas agências de modelos do planeta, a Elite, jura que a relação com todas foi sempre muito profissional. Pelo menos é o que diz no livro recém lançado pela Agir, “Vida Modelo”.

Livro Vida de Modelo

A idéia de escrever sobre a própria experiência é recente. Antes, quando recebia propostas para publicar sua biografia, recusava com modéstia. Não achava que sua vida, mesmo com tanta excitação, merecia um livro.

Mas Casablancas cedeu e, na compilação de lembranças, conta tudo. “Nada do que fiz mudou o mundo, mas que delícia que foi”, diz. O livro traz histórias da sua juventude bem vivida e das dificuldades em criar e manter a agência num ambiente competitivo. Ele traz ainda detalhes de sua participação no exclusivo mundo da moda, mas sem fofocas.

O guru da moda que nasceu em Nova York e ainda criança foi morar na Suíça, raramente fala mal de alguém. Entre as exceções, solta o verbo sobre as editoras de moda das revistas femininas e sobre a top Gisele Bündchen. Define as editoras como pessoas que fizeram da moda uma ciência e uma religião e que, em geral, desenvolvem uma “agressividade mal humorada” em relação às agências. “Se é verdade que o poder corrompe e corrói, isso se aplica perfeitamente às editoras que têm em suas mãos o poder de fazer ou destruir as carreiras dos modelos”.

Sobre Gisele, ele fala com rancor. A top foi lançada por ele e, depois, trocou de agência. “Ela nos jogou no lixo justamente no exato momento em que tínhamos conseguido levá-la ao auge, o topo absoluto”, desabafa no livro.

A queda da Elite e afastamento de Casablancas da agência depois de um escândalo sexual, envolvendo um dos seus sócios, também é assunto tratado com franqueza e riqueza de detalhes. Segundo o próprio autor, o livro é “viagem única de descobertas e glamour sem fim, de criatividade e realizações, de insolência e irreverência, de liberdade e beleza”.

Ele inaugurou este ano a Joy Model Management, em São Paulo e, até o final de 2009, pretende abrir filiais de sua nova agência em outros países.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente