Vanessa da Mata: diva conta sobre o pavor da fama

Vanessa da Mata diva conta sobre o pavor da fama

Foto: Daryan Dornelles

Conhecida pelos cabelos volumosos, jeito cativante e voz sem igual, Vanessa da Mata se delicia com o sucesso crescente de seus discos e fama. Lançada na carreira de cantora em 2002, apenas aos 26 anos, a mato-grossense lança neste mês o quinto álbum inédito da carreira intitulado: "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias" e, claro, aproveita o título de diva da MPB.

Quem vê todo esse sucesso hoje, não imagina que ele quase não existiu. No seu jeitinho tímido, Vanessa conta que tinha pavor que a fama lhe tirasse a privacidade. Por conta disso, vários convites de gravadoras foram recusados. "Eu, que batalhei tanto, morri na praia. O motivo? Pavor de que um eventual sucesso me roubasse a privacidade", disse, em entrevista ao jornalista Armando Antenore, da "Revista BRAVO!" de outubro.

O medo virou força e faz com que a beldade hoje, protagonize, em média, 15 shows por mês e, ao menos, duas turnês anuais fora do Brasil! Sem contar o 1 milhão de cópias vendidas por CDs e DVDs e o selo da gravadora carinhosamente chamada de "Jabuticaba".

Mesmo assim, o cuidado com manter a vida celebridade/privacidade dividida ainda reina. É essa vontade que mantém Vanessa "na linha" e não a deixa esquecer a simplicidade de pessoa que é. "Se o mundo de hoje permitisse, gostaria de fazer sucesso sem me mostrar demais. Numa situação ideal, minhas canções e meu canto se alastrariam, enquanto que o resto permaneceria à sombra. Doidera não?"

O jeito próprio de Vanessa fazer música foi o que a deixou conquistar um lugar ao sol. Mesmo antes de ser conhecida como Vanessa cantora, as composições da morena podiam ser vistas através das interpretações de divas como Maria Bethânia e Daniela Mercury.

Ironicamente, um problema com déficit de atenção não deixou Vanessa aprender algum instrumento de verdade. As aulas de violão não tiveram chance nas mãos da moça e ela teve que se virar para tirar as músicas da cabeça. "Pego um gravador, cantarolo as melodias que invento e peço para um músico transcrevê-las"


Aos 34 anos, com a agenda lotada e milhões de fãs espalhados pelo mundo, a mato-grossense ainda tem planos fora dos palcos. A publicação de um romance - que já tem os 6 primeiros capítulos, mas não tem data para término - e a abertura de uma casa de espetáculos com um sócio. "Se tudo der certo, vamos inaugurá-la até dezembro", afirmou ainda para a "BRAVO!".

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

Comente