Toda mulher é um pouco Helena

Toda mulher é um pouco Helena

Christiane Torloni. Foto: divulgação/ Globo.

As novelas nem sempre espelham a realidade, nem sempre apresentam personagens que servem de exemplo ou que são integralmente inspirados na vida real. Mas essa, definitivamente, não é a fórmula de Manoel Carlos, o pai de todas as Helenas.

O autor de novelas da Rede Globo, já consagrado com folhetins como "Felicidade", "Páginas da Vida" e "Laços de Família", agora volta ao horário nobre, com "Viver a Vida". A fórmula é a mesma de sempre, as cenas ainda se passam prioritariamente no Leblon e a personagem principal, claro, não podia deixar de ser Helena.

Foram sete no total, desde 1981. Nesses 28 anos, cinco grande atrizes já viveram essa personagem forte, madura, nem sempre politicamente corretas, mas sempre amadas pelo público, com todas as suas fragilidades. Apenas Regina Duarte já interpretou três vezes essa mulher. Lilian Lemmertz foi a primeira Helena, em 1981, em "Baila Comigo". Dez anos depois, a personagem voltou à cena, com Maitê Proença, em "Felicidade".

Em entrevista ao Fantástico, Maitê explicou melhor como é essa mulher de garra que não tem medo de mostrar os próprios defeitos. "Eu tinha conversas politicamente incorretas, brigava com a mãe, tinha desesperos com a filha, perdia o prumo. Para a mocinha da novela, era muito impróprio", contou Maitê.

"As Helenas transgridem. Elas não são assim heroínas todas corretas. Elas se perdem, se desequilibram", observou Regina Duarte. Ela viveu a primeira Helena em "História de amor", em 1995. Depois emendou "Por amor", em 1997. A terceira veio em "Páginas da vida", em 2006. "As Helenas têm essa coisa da transgressão. E têm uma coisa também de sofrer muito. Mas também têm uma grande alegria", completou Regina.

"Elas querem se superar da sua própria vida. Querem abrir caminho. É uma moral relativa. É a moral do amor", afirmou Christiane Torloni, que foi Helena em 2003, em "Mulheres Apaixonadas". "Ela era uma mulher infeliz no casamento, na lua de mel ela se sente seduzida por outro homem. E se permite viver uma história com outro homem na lua de mel", lembrou a atriz.

[galeria]

Antes dela, Vera Fischer deixou sua marca em "Laços de família" (2000), sucesso inegável da dramaturgia, com a grande atuação de Carolina Dieckmann, além de Reynaldo Gianecchiniestreando na televisão.

leia também


Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente