Simone de Beauvoir por Fernanda Montenegro

Fernanda Montenegro

Foto: Guga Melgar.

Escritora, filósofa e feminista, Simone de Beauvoir ficou conhecida pelas suas biografias e romances sobre a sua vida e época (décadas de 20 a 80). Entre as suas obras destacam-se "O Segundo Sexo", ensaio que analisa o papel das mulheres na sociedade, e "A velhice" e "A Cerimônia do adeus", uma forma de lembrar de Jean-Paul Sartre, companheiro de muitos anos.

Algumas de suas cartas autobiográficas são temas para projetos culturais, como a encenação “Viver Sem Tempos Mortos”, dirigida por Felipe Hirsch e interpretada por Fernanda Montenegro.

Fernanda Montenegro

Foto: Guga Melgar.

“Fui jovem numa época emblemática. Sou de uma geração que se pronunciava e ia às ruas para pensar e sentir. Devemos refletir sobre o nosso cotidiano cada vez mais saturado de esperanças não realizadas, pela desinteligência e, infelizmente, pela brutalidade. Neste sentido, Viver Sem Tempos Mortos oferece também uma oportunidade para que o público jovem conheça um pouco mais sobre a paixão, a energia, a audácia e as contradições humanas de Simone de Beauvoir, uma das pensadoras mais influentes do século 20. Encontrei em Felipe Hirsch o companheiro ideal para essa viagem, numa montagem corajosamente minimalista e sensibilizada. E num espaço cênico ideal, intuído pelo talento de Daniela Thomas”, afirma a atriz.


O espetáculo faz parte do projeto “Caminhos da Liberdade”, realizado entre 23 de maio e 28 de junho, no palco do SESC Anchieta, todos os finais de semana (de quinta a domingo). Já às quartas, a partir das 20 horas, é a vez do documentário, “Uma Mulher Atual” (Une Femme Actualle, 2007), de Dominique Gros. Após a apresentação do filme haverá palestra e debate com o professor Jorge Coli. Mais informações pelo telefone (11) 3234-3000.

Por Juliana Lopes

Comente