Record na luta pela liderança

Record na luta pela liderança

Foto Hiran Silveira / Divulgação

“Nossa concorrente está precisando lembrar que tem qualidade? Para nós, isso tem um 'q' de queda de audiência”. Esta foi uma propaganda veiculada pela Record em jornais e revistas no início deste ano. A campanha surgiu depois que a TV Globo lançou a chamada do “Q de qualidade”, na qual o elenco da emissora formava a letra “Q”, para demonstrar que o canal tem mais qualidade que os demais.

A briga entre Record e Globo não é novidade. A emissora do bispo Edir Macedo alfineta a rede da família Marinho desde que começou a crescer no Ibope, parou de disputar o terceiro lugar de audiência e alcançou a segunda colocação, junto ao SBT. Além disso, conseguiu chegar várias vezes à liderança.

Para tentar ocupar de vez o primeiro lugar, monopolizado pela TV Globo há anos, a Record investe pesado em equipamentos e profissionais. Há três anos, a emissora paulista ocupa um espaço no Rio de Janeiro, onde são produzidas as suas novelas. Com dois mil funcionários, oito estúdios e mais dois em construção, o complexo de teledramaturgia foi batizado de RecNov.

Com as novelas, o canal conseguiu consolidar seu lugar na vice-liderança de audiência no horário nobre e disputar o topo do pódio com a Globo. Os momentos em que atinge a liderança são comemorados. A novela “Prova de Amor”, por exemplo, veiculada em 2005, conseguiu ficar alguns minutos à frente da principal concorrente no Ibope. Tal superação ganhou destaque no site da emissora.

É visível que as tramas da Record atraem parte da audiência que antes era da TV Globo. O último capítulo de “Caminhos do Coração” e o primeiro de “Os Mutantes - Caminhos do Coração”, de Tiago Santiago, “roubaram” o Ibope da estréia de “A Favorita”. Tanto que o folhetim da TV Globo registrou a pior audiência de começo de novelas no horário nobre de toda a história da emissora. Com 34 pontos de média (cada ponto equivale a 49,5 mil domicílios na Grande São Paulo), ela manteve sua liderança no horário, mas agüentou a Record com 24 pontos no Ibope logo em seguida, garantindo o segundo lugar isolado.

Assim como outras produções da emissora de Edir Macedo, “Os Mutantes - Caminhos do Coração” conta com um elenco recheado de ex-globais. Investindo cada vez mais em telenovelas, o canal garante emprego para vários atores que estariam na “geladeira” da Globo, à espera de um novo trabalho.

Tiago Santiago, autor da trama, afirma que a Record está na frente da concorrência quando se fala em qualidade. “Quem acha que a Record produz com menos qualidade do que a Globo é porque tem preconceito. Os profissionais que estão aqui, vem de lá da emissora concorrente. Nós temos equipamentos de última geração, investimentos em efeitos especiais, efeitos visuais que a concorrência não tem. Então, na verdade estamos um passo à frente dela”, declara.

O diretor geral de teledramaturgia da emissora, Hiran Silveira (foto), acredita que a evolução é conseqüência do trabalho realizado pela Record. “Nós sabíamos desde o começo que conseguiríamos nosso sucesso. Ele dependeria da qualidade dos produtos que nós conseguíssemos produzir, das histórias que criássemos e é isso que procuramos fazer desde o primeiro momento. Procuramos nos cercar de pessoas competentes”, conta o diretor.

Nos últimos anos, a Record conseguiu crescer mais do que suas concorrentes diretas no Ibope. Em maio de 2007, no período da tarde, a emissora marcava 5,6 pontos, enquanto o SBT atingia 6,5. Em maio deste ano, ela conseguiu alcançar os 7 pontos no Ibope e a emissora de Silvio Santos caiu para 6,4. Nesse mesmo intervalo de tempo, a TV Globo passou de 19,5 pontos para 17,7. São indícios de que o trabalho da Record pela liderança está gerando frutos. “Nesses últimos três anos, foi um crescimento muito grande, uma produção muito grande. É o que nos propusemos a fazer. Nosso lema a caminho da liderança passa por fazermos o que estamos fazendo”, diz Hiran Silveira.

Fonte - MBPress

Comente