Professora relata mudança de meninas após verem Mulher Maravilha

Veja como o filme feminista está inspirando meninas a serem mais fortes e independentes!
mulher maravilha

Foto: Divulgação

Difícil encontrar uma mulher que não AMOU o filme da Mulher Maravilha. Ele foi primeiro filme dirigido por uma mulher a bater recordes de bilheteria em sua primeira semana de estreia nos Estados Unidos, e mais do que isso, foi um dos filmes que mais inspirou meninas e mulheres a terem orgulho de si.

Sua diretora, Patty Jenkins, compartilhou em seu perfil do Twitter uma mensagem que mostra o efeito que o filme teve no público. A carta de uma pessoa que trabalha em uma pré-escola narra como o filme mudou algo na vida de seus alunos em apenas uma semana.


“Minha produtora me passou este texto. É absolutamente incrível!!! Faz com que cada dia difícil valha a pena. Obrigada a quem escreveu!!!”, diz a cineasta em um tuíte que foi compartilhado 41.000 de vezes e teve mais de 94.000 “likes” em menos de 24 horas. A protagonista do filme fala sobre o empoderamento e a independência feminina.

“Minha produtora me passou este texto. É absolutamente incrível!!! Faz com que cada dia difícil valha a pena. Obrigada a quem escreveu!!!”

Eis a carta recebida pela diretora: “Trabalho em um jardim da infância e esta é uma coleção de coisas fofas relacionadas à Mulher Maravilha que aconteceram uma semana depois da estreia do filme:

- Na segunda-feira, um menino que estava obcecado pelo Homem de Ferro me contou que tinha pedido aos pais um tênis novo da Mulher Maravilha.

- Uma menina disse: 'Quando for maior, quero falar centenas de idiomas, como Diana [nome real da Mulher Maravilha]'.

- Uma menina obrigou seus pais a mudar o tema da festa de A Bela e a Fera apenas três dias antes porque precisava que a festa fosse da Mulher Maravilha.

- Sete meninas brincando durante o recreio da terça-feira disseram que já que todas elas queriam ser Mulher Maravilha então tinham concordado em ser amazonas e lutar juntas contra o mal em vez de brigar entre si.

mulher maravilha

Foto: Divulgação

- Depois veio uma menina que não respondia se não fosse chamada de Mulher Maravilha.

- Outra menina perguntou seriamente ao professor (ou professora) se podia trocar o uniforme pela armadura da Mulher Maravilha porque queria 'estar preparada caso tivesse de salvar o mundo'. O professor (ou professora) riu e concordou. No dia seguinte a menina veio fantasiada e nenhuma criança se abalou.

- Estão preparando um espetáculo de fim de curso e nos perguntaram se podiam ir vestidos de super-herói, quando na realidade vão cantar uma música sobre coelhinhos.

- Houve um menino que se irritou e jogou um carrinho de plástico em um colega e então uma menina gritou: 'Igual ao filme'.

- Um menino jogou no chão o papel de uma bala e uma menina de cinco anos lhe disse: 'Não faça sujeira, idiota. Por isso não há homens em Temiscira [lugar da origem do personagem, onde há só mulheres]'.

- Na quarta-feira, uma menina veio com uma lista impressa com todas as super-heroínas e seus poderes para evitar conflitos na hora de escolher seus personagens no recreio.

- Conversei com uma menina que não tinha visto o filme. No dia seguinte veio muito séria e me disse: 'Você tinha razão, Mulher Maravilha é muito melhor que Frozen'.

Considere isso uma forma agradável de lembrar que, se este filme mudou completamente o modo como estas meninas e meninos pensam sobre si mesmos e sobre o mundo em apenas uma semana, imagine o que acontecerá com a próxima geração se lhes dermos mais filmes como Mulher Maravilha."

Patty Jenkins dirigiu Charlize Theron em Monster, o filme que lhe deu um Oscar, e se encarregou de vários episódios da série de televisão The Killing. Em Mulher Maravilha, conta as origens da heroína, uma guerreira chamada Diana e criada em uma ilha paradisíaca habitada apenas por mulheres. A ela chega por acidente um piloto norte-americano, combatente da Primeira Guerra Mundial, que a faz descobrir uma realidade paralela dominada por homens.

Vale a pena conferir!

via

Comente

Assuntos relacionados: mulher maravilha marvel feminismo feministas