Pedro Bial, o síndico do BBB

Pedro Bial o síndico do BBB

Pedro Bial. Foto: Frederico Rozario/ divulgação Globo.

Ele ganhou o apelido carinhoso de Patrícia Poeta, apresentadora do Fantástico. E gostou da honra de organizar a bagunça. Pedro Bial, o único contato diário que os confinados do Big Brother Brasil tem com o mundo aqui fora, vive o "dilema" de achar o programa que apresenta bobo e, ao mesmo tempo, profundo. Vai entender.

Bial deu essa declaração à revista "Rolling Stone", da qual é capa desse mês. "O BBB vive do paradoxo, por isso pira tanto as torcidas. É uma bobagem? É. É profundo pra caramba? É. Vai lidar com um paradoxo desses", tentou explicar.

Sempre dono de um discurso esperado, principalmente em dias de eliminação, o jornalista disse ainda que gosta de ser o ‘moralista da nação’. "Moralismo é acreditar que a moral é suficiente para que o homem seja bom".

Aos 51 anos, ele é a única peça que não é mais novidade no BBB. Todo ano, independente de quem vai ganhar, é Bial o grande destaque. Ele tem o poder de criar amores e ódios, de sugerir maldades (e às vezes, bondades), de criar ícones e paixões. Fez isso na edição passada, quando declarou a preferência por Priscila Pires, por exemplo. Continua fazendo, esse ano, quando joga no vento informações que, na cabeça do público, viram uma salada.

J.B. Oliveira, o Boninho, adora. A pimenta que Bial coloca ajuda o reality a caminhar, com suas tramas da vida real. No Twitter, o diretor já declarou a admiração pelo apresentador de sua atração. "O que eu mais gosto no 'BBB'? Ver o Pedro Bial dando um show de apresentação, bom humor, fair play. Nosso Chacrinha da nova era", elogiou.

O jornalista tem tanto poder sobre a casa que, recentemente, foi o responsável por uma pequena mudança na decoração. Num dos discursos, Bial disse que a linguagem do corpo fala bem alto e analisou a maneira com que os confinados se posicionavam durante a exibição ao vivo. Chegou a dizer que Dourado roubava a cena, já que sempre se sentava na mesma poltrona, à frente dos outros. Como o público caiu em cima, Boninho agiu. "As provocações começaram, tiramos as duas poltronas giratórias da sala, agora todo mundo vai ficar no sofá", postou no microblog.


O apresentador do programa não deveria ter preferência. Ele mesmo disse que torce contra todos. Mas, espiando de fora, há quem se queime com as declarações de Bial. O pai do último eliminado, Eliéser, por exemplo, ficou insatisfeito com a maneira pela qual o jornalista se referiu ao filho. Para Valtir Ambrósio, Eli se tornou alvo ao ser chamado de bobo e banana. "Tudo o que ele fala influencia na votação", lamentou o pai. É. Regra número um do jogo é agradar o síndico.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente