Para Deborah Secco, Bruna Surfistinha foi o papel da sua vida

Para Deborah Secco Bruna Surfistinha foi o papel d

Foto: arquivo MBPress

Deborah Secco, nas telinhas como Natalie Lamour de "Insensato Coração", é a estrela de "Bruna Surfistinha", filme baseado no livro "O Doce Veneno do Escorpião". Interpretar a ex-prostituta Raquel Pacheco não foi fácil para a loira: além de engordar oito quilos, Deborah teve dificuldade com as cenas de drogas.

"O Marcus disse que eu estava muito magrinha, que era o meu normal, né? Praticamente anoréxica. Aí passei a comer uns sete pães no café da manhã. Em vez de um prato, eu comia três", contou a atriz, em entrevista ao jornal "O Dia".

Para as cenas em que Bruna usa drogas, Deborah admite: foram mais complicadas do que as cenas de sexo. "Sexo a gente sabe como funciona. Já cocaína eu nunca tinha visto na vida. E fazer disso uma coisa cotidiana era mais difícil ainda. Para essas cenas, conversei com médicos e ex-usuários", confessa.

Por esses e outros motivos, Bruna Surfistinha, segundo a atriz, foi o personagem de sua vida, representando uma grande virada em sua carreira. "Eu queria fazer a personagem da minha vida. Mas o Marcus [Baldini] era bem reticente, achava que seria uma personagem midiática interpretada por uma atriz midiática. Nem me convidou para um teste e só depois me mandou o roteiro. Mas eu me reinventei, me zerei e comecei tudo de novo, virei uma nova Deborah atriz", disse.

Para Secco Bruna foi papel da sua vida

Foto: arquivo MBPress

Apesar de ser baseada em um livro, Marcus Baldini, diretor do longa, deixa claro que o intuito não era seguir à risca sua história. "No começo, precisei convencer as pessoas de que não é um filme erótico. Em momento algum eu quis ser fiel ao livro. Queria mostrar o meu olhar sobre a história", deixa claro o diretor.

"Dentro daquela história de garota de programa, que estava sendo reconhecida, tinha uma menina tímida tentando encontrar seu lugar no mundo. Esse contraponto me chamou atenção. O fato dela ser sensual, de classe média e ter complexo de rejeição. Lendo o livro, percebi que ela estava buscando uma realização dentro da carreira de prostituta", adiciona, explicando que o filme será dividido em três partes: "Primeiro, vemos a Bruna em casa e na escola. Depois, a decisão de se tornar prostituta. No terceiro momento, ela está sozinha, escrevendo no blog. Tudo isso entremeado pelas histórias com os clientes".

Ao sair de casa para se prostituir, Bruna é recebida por uma cafetina, interpretada por Drica Moraes. "Eu acompanhei o processo de adoção do filho dela. Drica me conhece desde que eu tinha 12 anos. Nas filmagens, a gente não sabia que ela estava mal. Essa semana nos encontramos e vimos o filme juntas. Ela ficou emocionada e me elogiou. Isso foi mais importante que qualquer crítica", confessou Deborah.


Por Ana Paula Araujo (MBPress)

Comente