Os planos de Rodrigo Santoro

Benício del Toro e Rodrigo Santoro  Arquivo MBPres

Benício del Toro e Rodrigo Santoro / Arquivo MBPress

Além de objeto de desejo de dez entre dez mulheres, Rodrigo Santoro conquista também, cada vez mais, o coração de diretores de cinema do mundo todo. Não é de hoje que ele é o brasileiro queridinho de Hollywood. Agora, o ator está presente, ao lado de Benício Del Toro, no filme Che, onde vive o cubano Raúl Castro, irmão de Fidel.

Na revista “Tam nas Nuvens” de fevereiro, ele fala sobre o papel que quer fazer agora do lado de cá das telas. Pela primeira vez, Santoro será co-produtor, no longa Heleno. Em entrevista ao redator-chefe da revista, Augusto Olivani ele disse: “Cinema é sempre uma luta. Espero que a filmagem comece no final deste ano. Estou muito estimulado porque é um grande personagem - Heleno de Freitas foi um jogador de futebol do fim dos anos 40, antes de Pelé e Garrincha”.

Na publicação, Santoro disse ainda que está feliz com a participação de atores estrangeiros em filmes americanos e europeus. Antes, segundo ele, o latino era visto apenas como latino e os personagens eram mais estereotipados. “Eu recebia muita coisa naquele sentido, era o Latin lover ou o traficante. Hoje, com a abertura do mercado, o executivo se sente mais seguro na hora de investir em um estrangeiro. Ao mesmo tempo, complicou: você compete com gente do mundo inteiro. A única coisa que eles têm em comum é que são estrangeiros, têm sotaque”.

Este ano, além do duplo sobre Che Guevara (“O Argentino” e “A Guerrilha”), Santoro atua também “I Love You Phillip Morris”, ao lado de Jim Carrey, e na comédia “The Post Grad Survival Guide”. No Brasil, está no elenco da minissérie “Som e Fúria”, dirigida por Fernando Meirelles. Parece que em 2009 vai ser mesmo difícil perder Santoro de vista. Ainda bem!

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente