Os 5 estilistas mais ecofriendly e socialmente engajados

Os 5 estilistas mais ecofriendly e socialmente eng

Stella McCartney. Foto/ Getty Images

Alguns estilistas se esforçam para serem cidadãos no mundo e fazer algo novo socialmente justo ou ecologicamente correto. O consumismo e o mal uso de matérias primas estão sempre em questão, como a utilização de mão de obra de maneira justa. Para dar crédito a quem merece, a GNT apontou os 5 estilistas mais ecofriendly e socialmente engajados que temos conhecimento. Vamos aos nomes e às iniciativas sustentáveis:

Stella McCartney

Filha do ex-beatle Paul McCartney e uma das designers mais renomadas do mundo. Quando o assunto é moda sustentável ela sai na frente. Adepta do vegetarianismo, ela não usa pele e couro animal em suas peças e é afiliada ao PETA. Preocupada com as condições de trabalho de quem confecciona suas coleções, a estilista costuma usar algodão orgânico e dá preferência a corantes de baixo impacto ambiental. No ano de 2010 a britânica inaugurou uma "loja verde" em Milão, certificada pelo LEED, um selo que atesta projetos totalmente sustentáveis, com redução de emissões de CO2 e uso racional de energia e de água. Ela prova que dá para fazer moda comercial e consciente.

Vivienne Westwood

Ruiva e estilosa, ela também usa a moda para apoiar causas socioambientais. Este ano ela lançou uma linha de acessórios chamada Ethical Fashion Africa Collection, produzida por mulheres do Quênia com matéria-prima reciclada. Apoiado por uma agência da ONU, o projeto visa gerar emprego e fonte de renda para a população do país. Vivienne sabe e já admitiu que sua campanha contra o consumo desenfreado vai contra o negócio da moda com que trabalha. Durante um programa de TV, ela declarou "compre menos, escolha melhor" e incentivou as pessoas a consumirem o necessário.

Ali Hewson e Bono Vox

Apesar de não serem bem estilistas, eles são fundadores da grife Edun, que surgiu baseada no conceito da moda ética. A estilista francesa Isabelle Quéhé é quem desenvolve a maior parte das coleções. A LVMH, conglomerado que detém grifes como Louis Vuitton, comprou 49% da marca. O maior objetivo da Edun é fortalecer o comércio com a África, e lá são produzidos 85% dos itens da marca, o que ajuda, com propósito claro, a erradicar a pobreza na região. A moda étnica deles consiste em peças confeccionadas com algodão 100% orgânico.

Oskar Metsavaht

Oskar, o homem por traz da Osklen, procura desenvolver suas coleções de maneira sustentável. Criou ao mesmo tempo o Instituto E, que tem foco em "promoção da vocação do Brasil como país do desenvolvimento sustentável". Além de muitas outras atividades, Oskar promove no instituto a pesquisa de novos materiais para que a cadeia têxtil brasileira utilize matéria-prima renovável e reciclada, com processos de produção éticos e sustentáveis.


Emma Watson

Com apenas 21 anos a eterna Hermione dos longas "Harry Potter" entrou há pouco no mundo da moda. Ela conta que está animada com a ideia de usar a moda como ferramenta para diminuir a pobreza e acredita que pode ajudar a fazer a diferença. Emma já desenvolveu coleções ecológicas e posou para as campanhas delas, em parceria com a grife People Tree. Tudo foi feito em material reciclado e no lançamento a estilista visitou Bangladesh para conhecer as mulheres responsáveis pelos trabalhos manuais de bordado e tecelagem.

Por Catharina Apolinário

Comente