"O Google é meu melhor amigo de noites insones", diz Grazi

O Google é meu melhor amigo de noites insones diz

Foto: Daniel Klajmic/ RG Vogue

Impossível não se apaixonar pelo sorriso largo e pela história de vida dessa menina do interior. De filha de boias-frias à estrela da Rede Globo ela passou por desafios de gente grande. Foi babá, miss, enfrentou a exposição do BBB, a dureza dos diretores e a inveja de muita gente. Hoje, feliz da vida, Grazi Massafera olha para trás com muito orgulho da própria história.

A gatona estampa a capa da RG Vogue de outubro e em entrevista à revista, revelou segredinhos para vencer o preconceito e sedimentar a carreira. "As pessoas sabem de onde eu vim e como cheguei onde estou. Sou batalhadora e guerreira como a maioria das mulheres brasileiras".

Quando saiu do BBB, vice-campeã, fez tudo o que a emissora-mãe lhe mandou. Inscreveu-se na "Oficina de Atores" e apresentou um quadro no "Caldeirão do Huck". E logo então veio o convite para participar da novela "Páginas da Vida", de Manoel Carlos, em pleno horário nobre!

"Juro que nunca imaginei que fosse dar certo. Pensava que estava na novela por sorte, que dessa não passaria", admitiu. Mas passou. Depois dessa, ela protagonizou a "Negócio da China" e se prepara para viver sua primeira vilã, em "Bom Dia Frankstein", que estreia 2010.

A preparação para a vida que leva agora inclui doses pesadas de muito estudo. Grazi confessa que seu maior objetivo é correr atrás do prejuízo. "Às vezes fico boiando numa roda de atores. Ouço o que eles dizem e, quando chego em casa, ‘dou’ um Google em tudo. O Google é o meu melhor amigo de noites insones. Agora é época de correr atrás dos filmes que eu não vi, ler as coisas que eu não li, saber das épocas e das pessoas que eu não conheci, porque morava no interior".

[galeria]


Bem sucedida e com uma vida estável, acabou de comprar a casa dos sonhos. Mas mesmo com a fama e o dinheiro (e o coraçãozinho batendo forte por Cauã Reymond), mantém os pés no chão. "Tenho prazer em pagar minhas próprias contas, saber quanto eu gastei de luz, de gás e água. Vou ao banco saber dos meus investimentos e ainda acho um absurdo gastar R$ 6 mil numa bolsa de grife. Uma vez comprei uma bem cara e tomei nojo dela. Olhava para aquilo e pensava no sustento de várias famílias."

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente