O espaço dos negros nos meios de comunicação

O espaço dos negros nos meios de comunicação

Divulgação

O jornalista e vencedor da quinta edição do Big Brother Brasil, Jean Willys, adora escrever sobre assuntos polêmicos e para isso usa seu blog. Na última sexta-feira ele publicou um texto sobre um tema muito presente na sociedade e que diversas vezes passa despercebido aos olhos de quem não sente na pele as conseqüências dele: a questão da presença do negro nos meios de comunicação e consequentemente na sociedade.

Usando como exemplo o fato da atriz Thais Araújo ser a primeira negra a protagonizar uma novela das oito na Rede Globo e o lançamento da primeira princesa negra da Disney, a Tiana, ele explica que vê essas duas notícias de forma positiva, mas não totalmente. Para ele a criação de personagens como Tiana pode ser um reflexo do efeito “Obama” nos Estados Unidos.

“Bom, é, no mínino, de se estranhar que só agora, décadas depois de o movimento negro constituir-se, fortalecer-se e atuar com freqüência nos EUA, a Disney tenha criado sua primeira princesa negra...

‘Mas, por que um desenho sobre uma princesa negra ou fato de uma atriz negra protagonizar a novela das oito da Rede Globo é algo tão importante a ponto de merecer atenção e discussão?’, perguntar-me-ão os contentes. Ora, porque os ícones da cultura de massa interferem sutil e insidiosamente em nosso cotidiano, não importa se somos brasileiros ou norte-americanos. Os ícones da indústria cultural (cinema, telenovela, publicidade e etc.) interferem na maneira como nós nos construímos e aos outros. Xuxa ou as estrelas de Hollywood, com suas peles brancas e olhos azuis, reproduzidos em bonecas, mochilas, sandálias e camisetas, não são inócuos.”

Jean argumenta que talvez, situações como estas sejam positivas por serem uma abertura, mesmo que pequena, para os negros, mas ainda há muito que deve ser observado.


“Thaís Araújo, Tiana e os poucos modelos negros da publicidade ou do sistema da moda só foram absorvidos pela cultura de massa porque, apesar da pele preta ou brown, estão bem próximos dos modelos brancos de beleza consagrados pela mídia. Eles são entidades negras desenraizadas e resolvidas numa equação branca. A sociedade costuma tratar os negros de acordo com o grau de proximidade da pele e do cabelo com o modelo branco. Nesse sentido, a abertura de fato só acontecerá no dia em que uma atriz negra com as características de Zezé Motta protagonizar a novela das oito.”

Ponto de vista interessante que pede uma reflexão, não é mesmo?

Por Larissa Alvarez

Comente