Novela "Ti-ti-ti" traz à tona onda de saudosismo

Novela Tititi traz à tona onda de saudosismo

Jack Leclair interpretado por Reginaldo Faria e Alexandre Borges. Fotos/Reprodução Site Globo e Memória Globo

Enquanto que no cinema vez ou outra alguns clássicos são refilmados e fazem sucesso nos telões - o longa do desenho de Zé Colméia, por exemplo, tem previsão de chegar ao Brasil no início de 2011 - os nostálgicos de plantão que adoram seriados e novelas também tem o que comemorar. Prova disso é a regravação da novela ""Ti-ti-ti"" que reúne vários personagens de sucesso da década de 80.

A blogueira Karoline Cabral viveu parte da adolescência nas décadas de 80 e 90 e confessa que sente um certo saudosismo ao lembrar desse tempo. Para matar as saudades dos programas, desenhos e propagandas, ela e mais dois amigos resolveram montar um diário virtual com várias fotos de ícones da época.

"Os anos 80 foram incríveis, que todos lembram com grande carinho e emoção. Sinto a felicidade, a vibração das pessoas quando posto um brinquedo, um comercial, uma novela etc. E é justamente esta vibração que mais me motiva atualizar sempre o blog. Recebo alguns e-mails e comentários de agradecimento por dar a oportunidade de relembrar coisas tão boas do passado".

Cabral tinha como passatempo preferido assistir às novelas, sendo que as suas prediletas eram "Carrossel", "Ana Raio" e "Zé Trovão", "Vamp" e "A Viagem". "Era um momento em que você se esquecia um pouco da realidade e passava a viver em um mundo à parte, de fantasia", lembra. Na sua opinião, as regravações são uma ótima oportunidade para novas gerações conhecerem obras que fizeram tanto sucesso anos atrás. "A gente chega a brincar em família que hoje em dia não se faz mais novelas legais como antigamente", comenta.

Quem também gosta de se aventurar no passado e resgatar verdadeiras relíquias de deixar qualquer um com aquele sentimento nostálgico é o dentista José Marques Neto. Criador do canal Mofo TV, ele tem vários fãs pela rede que encontram no seu espaço um vasto arquivo - são mais de três mil programas e novelas extraídos de DVDs e fitas VHS, principalmente dos anos 80 e 90. Adepto do revival, ele tem na memória e no coração os programas de auditório dos anos 70/80. "Nomes como Chacrinha, Flávio Cavalcanti, Bolinha e Carlos Imperial". Para eles, atrações como essas deixaram lacunas que não foram preenchidas ainda no cenário televisivo.

Neto compara a telenovela brasileira como uma grande ópera popular da TV. Para ele, a trama mais marcante foi "Roque Santeiro", eternizada pelos personagens Viúva Porcina e Sinhozinho Malta. Já a favorita é "Vale Tudo". "Quem matou Odete Roitman? Também não posso deixar de citar a "Guerra dos Sexos", além de "Brega & Chique". Hoje assisto novelas com olhar mais crítico e poucas me empolgam, como aconteceu com "A Favorita" em 2008", diz.

Na opinião do fanático por televisão, releituras como "Ti-ti-ti" são uma forma de homenagem, mas devem voltar repaginadas e ancoradas com o dinamismo da atualidade. "Assisti pouco da exibição original e da reprise em 1988. Estou gostando muitíssimo da nova versão, uma grande homenagem de Maria Adelaide Amaral ao espírito de Cassiano Gabus Mendes de entreter o público", destaca Neto que não vê a hora de assistir ao personagem Victor Valentim olhar para a câmara e soltar: "Viva!". "Também estou ansioso para rever os efeitos que o batom BokaLoka trazia às mulheres". (Veja o vídeo logo abaixo)

Mas claro que não é qualquer novela que "vale a pena ver de novo". O dentista destaca que o saudosismo é sempre bem-vindo desde que bem escolhido. "O lançamento do Canal Viva, da Globosat, está comprovando que existe público para esse revival". Público esse que não se limita a voltar apenas no tempo através das telinhas. Também por meio das baladas, ao ouvir uma música que os remete a sentimentos de outras épocas, "do primeiro beijo, do frio na barriga ao ver a pessoa amada, do primeiro bailinho", conforme o DJ Tonyy, organizador da festa Trash 80´s.

[galeria]

Quando Tonyy e o jornalista Eneas Neto resolveram organizá-la, eles pensaram em algo que nada tivesse a ver com o clima underground, das bandas de garagem que eles viveram. O clima da festa é kitsch, da década de 80, com direito a Madonna, Cindy Lauper, Xuxa, Sidney Magal, entre outros ícones desse universo. A programação que se divide em duas unidades, no Centro de São Paulo e no bairro Vila Olímpia, faz desde homenagens para Chacrinha, personagens do SBT como Ivo Holanda, por exemplo, convida personalidades como Leo Jaime, Zé Pedro e Kid Vinil para comandar o som, e até organiza shows ao vivo com Gretchen, Sidney Magal e Wando.


Tonyy conta que no início o público de até 25 anos era restrito, entretanto, agora o cenário é outro. Há gente de todas as idades que embalam na brincadeira dos "trashes". Enquanto muitos trocam mensagens via twitter, que aparece em um super telão ao lado da pista, em um palquinho os organizadores ensinam várias coreografias, passos imitados ao som de músicas infantis, new wave, trilhas de filmes, brega e o dance. Nostalgia na certa! Gente de várias gerações, não só de quem viveu a adolescência há 20 anos ou mais, que aproveita o fantástico mundo dos anos 80.

Por Juliana Lopes

Comente