Nos tatames de Natália Falavigna

Nos tatames de Natália Falavigna

A lutadora de taekwondo Natália Falavigna compete nas Olimpíadas de Pequim nessa quinta-feira, às 22h (horário de Brasília). Dona de uma carreira de sucesso mundial, ela está no tatame há dez anos, com grande destaque em um esporte particularmente masculino, levando o Brasil por diversas vezes ao pódio.

Natália começou a treinar a modalidade em 1998, no Paraná, onde nasceu. Em dois anos, conquistou a medalha de ouro no Campeonato Mundial Júnior, na Irlanda. Com apenas 16 anos, ficou famosa por ser a primeira brasileira a conquistar um Mundial em sua categoria. “Ela gostou do taekwondo porque é um esporte que só depende dela. Quando soube da medalha de ouro na Irlanda, percebi que ela tinha mesmo potencial para o esporte”, conta Ana Maria Falavigna, mãe da atleta.

Até agora, foram 11 competições internacionais, nas quais a atleta subiu nove vezes ao podium. Em 2003, ela enfrentou uma depressão, mas não se afastou dos tatames. A partir de então, não parou mais de conquistar títulos.

Em 2005, Natália tornou-se campeã mundial em Madri, trazendo mais uma conquista histórica para o taekwondo brasileiro. Nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro em 2007, Natália conquistou prata. Forte como nunca, em Pequim ela quer uma medalha olímpica. “A medalha de prata do Pan serviu para Natália repensar e reestrutura seu treinamento. Ela sabia que estava bom, mas não era o suficiente”, conta Ana Maria.

Em casa, Ana Maria conta que preferiu não ir à Pequim com a filha: “Eu fico muito emocionada nestas horas. Prefiro acompanhar pela TV e rezar por ela. Até preferia estar anestesiada nestas horas. Aqui em casa, não matamos nem barata”, brinca a mãe coruja.

Veja o que o Vila Mulher já falou sobre as Olimpíadas de Pequim!

Fonte - MBPress

Comente