Movimento Gota D'agua: globais encaram luta contra Belo Monte

Movimento Gota Dagua globais encaram luta contra B

Foto/ Reprodução de vídeo do Vimeo Movimento Gota D'água

"Você já ouviu falar na usina Hidrelétrica de Belo Monte?" "Você sabe o que quer dizer energia limpa" "O que eu tenho a ver com isso?". Com estas questões atores globais compõem o vídeo de campanha contra a instalação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, que destruirá o Parque Nacional do Xingu, território de muitas comunidades e povos tradicionais.

O vídeo faz parte do Movimento Gota D'água, criado a partir da indignação do ator Sérgio Marone, que se sentia impotente diante dos noticiários.

A iniciativa do Sérgio Marone em parceria com a jornalista Maria Paula e o diretor Marcos Prado resultou um filme que fala sobre a Hidrelétrica de Belo Monte. Os globais convidados a participarem do vídeo puderam compor uma mensagem de informação sobre impactos da construção da usina de energia e convidam o telespectador a uma reflexão.

A bandeira erguida por diversos ambientalistas já é conhecida nas redes sociais, mas a grande questão em torno deste vídeo é que muitas pessoas que não tem interesse em saber sobre essa temática, passam a se interessar por estarem de frente com ícones das novelas das oito como Juliana Paes, Ari Fontoura, Bruno Mazzeo, Carol Castro, Ingrid Guimarães, Isis valverde, Cissa Guimarães, Claudia Ohana, Dira Paes, Letícia Sabatella, Malvino Salvador, Elisângela Vergueiro, Eriberto Leão, Guilhermina Guinle, Marcos Palmeira, Murilo Benício, Nathalia Dill, Sérgio Marone e Maitê Proença, que tira o sutiã para a causa, aparecendo de costas nuas.

A atriz Juliana Paes afirma "pago meus impostos, ensino meu filho a respeitar as pessoas" em um trecho do vídeo. Outros atores também fazem considerações referentes a influência e participação do cidadão nesta questão e como ajudar a impedir a destruição da floresta.

Informações sobre valores para construção da usina e de onde vem este dinheiro; capacidade de geração de energia do mega empreendimento; impactos no meio ambiente, na vida de cada um de nós e nas comunidades tradicionais que vivem nos arredores, como ribeirinhos e indígenas; são ressaltadas no roteiro da jornalista Maria Paula Fernandes e do ator Sérgio Morone, com direção de Marcos Prado.

Além do filme, o projeto recolhe assinaturas e colaboração através do site Movimento Gota D'água. O movimento também conta com uma página no Twitter com o nome @GotadaguaBR.

Ao final do vídeo, o ator Ari Fontoura manda uma mensagem para a presidenta Dilma Rousseff, lembrando que as pessoas não querem reconhecer o erro somente depois, na história, e pede reflexão. "Pense no Brasil em que seu neto vai crescer", encerra Fontoura.

O vídeo alcançou um grande número de pessoas através das redes sociais e conseguiu coletar 15 mil assinaturas em menos de 12 horas no ar, segundo o Twitter do ator Sérgio Marone.

Movimento Gota D'água

Segundo Sérgio Marone ao ler a carta do Cacique de Seattle sua maneira de pensar mudou. "Me incomodava muito ler noticias nos jornais sobre assuntos tão complexos e tão cheios de interesses ocultos, como a Usina de Belo Monte, que na maioria das vezes, diante da minha impotência, eu acabava virando a pagina, mudando de assunto. Foi quando li a Carta do Cacique de Seattle", afirmou.


A Carta do Cacique de Seattle é uma publicação que foi elaborada em 1854, quando o presidente dos Estados Unidos da época propôs comprar uma grande área de terra dos índios e prometeu a eles uma reserva onde pudessem viver. A resposta do Cacique Seattle foi uma declaração de amor ao Meio Ambiente. A carta está reproduzida, bem como a história, em um estudo feito na Universidade Federal do Pará, UFPA.

Por Catharina Apolinário

Comente