"Minha mãe é uma peça"

Minha mãe é uma peça

Divulgação

Dona Hermínia já é uma mamãe prá lá de famosa. Personagem do monólogo “Minha Mãe é Uma Peça”, interpretado pelo ator Paulo Gustavo, o espetáculo é sucesso de público. Ao todo são mais de 200 mil espectadores em teatros do Rio de Janeiro e São Paulo.

A complexa relação dos filhos e a famosa síndrome do ninho vazio são o pano de fundo desta comédia, mas a interpretação de Paulo, com todos jeitos e trejeitos, falas e atitudes, de uma mãe que se sente perdida e não tem o que fazer: sem a preocupação com os filhos, sem trabalho e romance, é o que mais atrai a plateia. O também autor da peça diz que a mamãe não é daquelas super simpáticas. Reclamona, mas adorável e bastante engraçada.

Dessa forma, ela conquista o público que se identifica e interage com a personagem, afinal, quem não conhece uma mãe, tia ou vizinha com esse comportamento? Paulo mesmo se inspirou na própria mãe para escrever o texto.

Minha mãe é uma peça

Divulgação

É ele também que se caracteriza sozinho. Demora cerca de uma hora para colocar o figurino: duas meias-calças, uma cinta por baixo do vestido até a altura do peito, outra cinta para que a cintura fique mais fina, o vestido florido e avental, bobes e um lenço no cabeça.

Pelo visto, a peça segue a mesma trajetória de outras famosas, como "Cócegas" e "Os homens são de Marte e é para lá que eu vou", de Mônica Martelli, com direito a visita nos camarins de famosos, como Deborah Secco, Caetano Veloso, Lilia Cabral e Ingrid Guimarães.

Além dos palcos, Paulo também participou de séries de Tv, como Minha Nada Mole Vida, A Diarista e Zorra Total, além de fazer parte do elenco fixo de Sítio do Pica-Pau Amarelo. No cinema, fez A Guerra Dos Rocha e o Divã.

leia também


"Minha mãe é uma Peça" estreia no Teatro Gazeta a partir desta sexta-feira, dia 08, às 21h30. Mais informações pelo telefone (11) 3253-4102.

Por Juliana Lopes

Comente