José Mayer faz carta aberta justificando assédio: 'Eu errei'

Leia aqui a carta da íntegra onde o ator admite ter assediado sua figurinista
José Mayer assédio

(GLOBO / PAULO BELOTE)

Nós já falamos aqui no VilaMulher sobre a acusação de assédio que a figurinista Susllem Tonani fez ao ator José Mayer. De acordo com Susllem para a Folha de S. Paulo , Mayer a assediava tanto verbalmente quanto fisicamente. Um pequeno trecho do depoimento já explica a gravidade da situação:

Caso José Mayer: pegou pela genitália, mas não quis ofender!

"Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo. (...) Eu me vi só, desprotegida, encurralada, ridicularizada, inferiorizada, invisível. Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali. Não havia cumplicidade, sororidade".

Após a carta ser tirada do ar para apuração, José Mayer negou as denúncias, colocando a culpa em seu personagem do momento, o magnata Tião Bezerra de "A Lei do Amor". Porém com a grande repercussão do caso e a perda de futuros papéis na emissora, ele decidiu admitir suas ações em uma carta aberta.

Nela, ele afirmou que precisa e quer mudar e disse ainda que a atitude correta agora é pedir desculpas e reconhecer publicamente. 

Leia na íntegra a carta de José Mayer:

"Carta aberta aos meus colegas e a todos, mas principalmente aos que agem e pensam como eu agi e pensava:

Eu errei.

Errei no que fiz, no que falei, e no que pensava.

A atitude correta é pedir desculpas. Mas isso só não basta. É preciso um reconhecimento público que faço agora.

Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas. Sou responsável pelo que faço.

Tenho amigas, tenho mulher e filha, e asseguro que de forma alguma tenho a intenção de tratar qualquer mulher com desrespeito; não me sinto superior a ninguém, nao sou.

Tristemente, sou sim fruto de uma geração que aprendeu, erradamente, que atitudes machistas, invasivas e abusivas podem ser disfarçadas de brincadeiras ou piadas. Não podem. Não são.

Aprendi nos últimos dias o que levei 60 anos sem aprender. O mundo mudou. E isso é bom. Eu preciso e quero mudar junto com ele.

Este é o meu exercício. Este é o meu compromisso. Isso é o que eu aprendi.

A única coisa que posso pedir a Susllen, às minhas colegas e a toda a sociedade é o entendimento deste meu movimento de mudança.

Espero que este meu reconhecimento público sirva para alertar a tantas pessoas da mesma geração que eu, aos que pensavam da mesma forma que eu, aos que agiam da mesma forma que eu, que os leve a refletir e os incentive também a mudar.

Eu estou vivendo a dolorosa necessidade desta mudança. Dolorosa, mas necessária.

O que posso assegurar é que o José Mayer, homem, ator, pai, filho, marido, colega que surge hoje é, sem dúvida, muito melhor.

José Mayer"

Se você, não engoliu as "desculpas" de José Mayer, confira o artigo de opinião do Vila Mulher sobre o caso: "PEGOU PELA GENITÁLIA, MAS NÃO QUIS OFENDER".

Comente