Drogas e rock 'n roll - "não dá para evitar que artista se vicie", diz empresário

Empresário opina sobre o vício de drogas

Foto/Reprodução Famosidades

Com a morte de Amy Winehouse no sábado (23), uma série de críticas pairou sobre as cabeças de gravadoras e empresários. Segundo os autores dos protestos, os profissionais que acompanham os artistas deveriam impedi-los de usar drogas.

Para se defender, Alan McGee, empresário de bandas de rock como o Primal Scream e The Libertines, tomou as dores da categoria e escreveu um depoimento ao jornal "The Sun". "Não há nada que um empresário, amigo ou familiar possa fazer para ajudar alguém viciado em drogas. Só eles mesmos podem se ajudar"

E criticou: "A cultura de buscar um culpado está fazendo muito gente sugerir que o empresário de Amy ou sua gravadora deveria ter feito mais. Eu empresariei alguns dos maiores viciados do rock 'n roll. Em alguns momentos, quatro integrantes do Primal Scream tinham sérios problemas com drogas. Tive de intervir com alguns deles várias vezes e persuadí-los a ir para rehab. Uns querem ajuda, outros não."


McGee esclareceu ainda que as gravadoras têm apenas a função de vender discos e os empresários de administrar carreiras. "Você não pode estar com o artista cada vez que ele vai ao banheiro para ficar de olho nele. Drogados são traiçoeiros". Polêmico, não?

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente