Curso de políticas sexuais vai se basear em letras de Beyoncé

Curso de políticas sexuais

Foto: Getty Images

Beyoncé não é só uma popstar. É feminista, ícone da nova geração e defensora dos direitos homossexuais, como o casamento gay. Pensando nessa poderosa influência que a cantora tem nos jovens, a Universidade de Rutgers, em Nova Jérsei, criou o curso "Politicizing Beyoncé".

Trata de abordar as questões de raça, gênero e políticas sexuais por meio da música e da carreira dela. Conteúdo é o que não vai faltar.

O recente hit "Run The World (Girls)", por exemplo, é um hino ao movimento feminista. Além do título já dar a dica - "Quem manda no mundo? As garotas", em tradução livre - a letra defende as mulheres e enaltece suas atividades: "Somos espertas o bastante para ganhar milhões, fortes o suficiente para lidar com as crianças e ainda voltar aos negócios".

De acordo com Kevin Allred, um dos responsáveis do jornal da universidade, o curso vai comparar os vídeos e letras de Beyoncé com trabalhos de figuras importantes do movimento feminista. Discussões sobre o fato de a cantora ter ou não controle sobre sua própria imagem e se o corpo dela é poderoso ou estereotipado também estão na grade curricular.

"É importante afastar os estudantes da ideia de serem apenas consumidores de mídia, sem pensar de maneira crítica sobre o que estão engajados", garante Allred.

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: beyoncé músicas beyoncé