CQC alavanca audiência da Band

CQC alavanca audiência da Band

Foto Divulgação

Em quatro meses de exibição, o programa “Custe o que Custar”, mais conhecido como “CQC”, já conseguiu aumentar a audiência da Band no horário. Apresentado todas as segundas-feiras, às 22h, com reprise aos sábados, o programa estreou com 3 pontos no Ibope e hoje chega a registrar 6, com pico de 8 pontos (Cada ponto no Ibope é equivalente a 55 mil televisores sintonizados). Fato positivo para a emissora, que com a atração consegue chegar ao terceiro lugar no Ibope.

Assunto de muitas rodas de amigos, o programa apresentado por Marcelo Tas, Marco Luque e Rafinha Bastos, tem reportagens de Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho, além de matérias do apresentador Rafinha. O formato, que já existe em outros países latinos, foi importado da produtora Eyeworks-Cuatro Cabezas.

Nada escapa do sarcasmo desse elenco, fatos da política, esporte, cotidiano e até mesmo as celebridades. A medida que ganha fãs pelo Brasil, o programa arranja alguns inimigos. Por ter repórteres sem “papas na língua” na hora de entrevistar políticos, a equipe do “CQC” foi proibida de entrar no Congresso Nacional e é ignorada por muitos figurões da política brasileira.

Depois de protestos com direito a um abaixo-assinado, que juntou mais de 200 mil assinaturas, a equipe de reportagem foi autorizada a gravar novamente dentro do Congresso. Mas por que a turma tinha sido vetada? O órgão disse acreditar que se tratava de um programa humorístico e não jornalístico. Ao saber que era uma atração realizada por jornalistas, a entrada da equipe foi liberada.

Uma prova de que é possível misturar notícia e humor inteligente, sem apelação.

Fonte MBPress

Comente