Conversas e conselhos animam a madrugada pré-paredão no BBB

Conversas e conselhos animam a madrugada préparedã

Marcelo Dourado. Foto: divulgação/ Globo.

Marcelo Dourado, que está no Paredão desta terça-feira (9) ao lado de Eliéser e Dicesar, é sempre alvo de polêmica. Na madrugada antes da eliminação, o papo rolou solto sobre preconceito e religião, já que o lutador tem tatuado no braço a expressão "Sem fé". "Eu sofri muito preconceito, mas isso tem me fortalecido cada vez mais", disse ele para os colegas Michel e Fernanda. "Fiz essa tatuagem em um determinado momento da vida. Não tenho motivos para acreditar em nada, mas não me considero ateu. Eu sou eu", declarou o fortão.

Na conversa, ele garantiu que não fez a tatuagem para ganhar a empatia das pessoas. "Queria era ganhar antipatia dos outros. Nem entendo como consegui voltar de três paredões". Aí, foi o preconceito que tomou conta da conversa. Dourado disse que, numa sociedade politicamente correta, é preciso ter cuidado com o que fala. "Um amigo pode chamar você de veado, de alemão, de negão, mas se um desconhecido chega e lhe chama da mesma forma, é taxado de preconceituoso. Um negro pode sair na rua com uma camiseta com a frase ‘100% negro’, mas um branco não pode sair de casa com uma blusa escrita ‘100% branco", exemplificou.

Fernanda entrou no papo e disse que não vai a shows de rock por causa da violência. "Eu nunca presenciei violência em show de rock. Isso é um preconceito", rebateu Dourado. "Acho que numa micareta tem muito mais brigas do que num show de rock. E em jogo de futebol, então?"

O papo não parou por aí. Como Michel, Dourado e Eliéser não queriam saber de dormir, viraram a madrugada conversando - foram para a cama só às 6h da manhã! Os três falaram sobre as últimas semanas de jogo e sobre o que querem fazer depois que o BBB acabar. Dourado, que já participou de outra edição do reality, contou que ganhou muito dinheiro depois da saída e tinha trabalho todo fim de semana. "Mas daí vieram as Olimpíadas e o foco do pessoal mudou", lembrou.

Conversas e conselhos animam a madrugada préparedã

Eliéser. Foto: divulgação/ Globo.


Eliéser falou que pretende ganhar a vida como modelo e que, provavelmente vá viajar para fora do país. "Eu vou ver como as coisas vão caminhar. Se não pintar nada bacana, vou para o exterior". Dourado, que é rival do modelo no Paredão de logo mais, incentivou o rapaz, mas alertou para ficar esperto com quem vai conduzir sua carreira. "Com certeza vão aparecer muitos trabalhos legais para você. Mas fique esperto com quem se aproxima. Sempre tem um cara querendo ganhar dinheiro rápido. Você vai ter um ano de exposição". E ainda soltou: "A gente tem três meses de contrato e rola uma grana. Mas depois a gente tem que correr atrás".

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente