Benicio Del Toro e Rodrigo Santoro no filme “Che”

Benicio Del Toro e Rodrigo Santoro no filme “Che”

Foto/ Arquivo MBPress

Ontem (30/10), os atores Benicio Del Toro e Rodrigo Santoro receberam a imprensa no Unibanco Arteplex, no Shopping Frei Caneca, em São Paulo, para contar detalhes do longa-metragem "Che".

A megaprodução, que conta a história do revolucionário Ernesto Che Guevara, foi dividida em duas partes e totaliza mais de quatro horas de duração. O primeiro filme retrata a ascensão de Che na Revolução Cubana, desde o momento em que ele se uniu a Fidel Castro para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista. Já o segundo mostra o revolucionário na Bolívia para começar a Grande Revolução Latino-americana, culminando na morte de Che.

A entrada de Rodrigo Santoro para o elenco de "Che" não foi fácil. O ator, que faz Raúl Castro no filme, encontrou Laura há cerca de cinco anos, quando ela lhe apresentou a história do filme. "Este foi o primeiro longa que eu fiquei realmente apaixonado desde quando comecei minha carreira internacional", contou Santoro.

Ele revelou que passou os cinco anos indo atrás da Laura, perguntando do projeto. "Até que no ano passado, eu fiquei sabendo que o filme sairia do papel, mas que o diretor Steven Soderbergh não iria fazer testes, somente entrevistas. Na época, meu espanhol estava péssimo e eu não conseguiria responder perguntas em "portunhol". Fiquei triste com a situação”, disse.

Depois disso, Rodrigo estudou a língua espanhola e continuou tentando um papel no longa. "Um dia, eu encontrei o Steven e a Laura levou na hora uma foto de Raúl jovem e ele tinha uns traços parecidos com os meus. Fiquei uma semana ansioso esperando a resposta".

O longa, sem financiamento norte-americano, teve subsídios da televisão espanhola e não foi filmado em Cuba. A produtora Laura Bickford, que também estava presente na coletiva, revelou que elenco e produção nem chegaram a tentar fazer cenas naquele país. "Nós sabíamos que, por sermos americanos, não teríamos essa permissão. Fizemos pesquisas no país. Durante os sete anos de produção, eu e o Benicio fomos pelo menos duas vezes por ano para Cuba".

Laboratório

Benicio Del Toro, que também é produtor do longa, comentou como era sua relação com Che antes do filme. "Nasci em Porto Rico e lá se comenta muito pouco sobre a Revolução Cubana. A primeira vez que ouvi falar de Che foi em uma música dos Rolling Stones chamada ‘Little Indian Girl’. Um tempo depois, encontrei um livro com as cartas dele e passei a querer saber cada vez mais sobre o assunto."

Para fazer o personagem, Rodrigo Santoro também passou um tempo em Cuba. "Fui para ficar dez dias, mas acabei estando lá por um mês e meio. Realizei um sonho de conhecer o país", disse o ator. "Fui com a missão de conhecer a cultura, o povo, Foi muito intenso. Andei por toda a ilha. Tive todo o apoio do governo, conversei com gente que viveu a época. Fazer este filme, foi uma experiência de vida muito forte para mim", completou.

Santoro ainda disse sobre a função de produtor que alguns atores estão tendo, como é o caso de Benicio em "Che". "Eu não tenho vontade de dirigir, pelo menos agora, mas estou produzindo "Heleno" (filme sobre a história do jogador de futebol Heleno de Freitas) porque a história me empolgou. Produzir é muito difícil, você tem que captar recursos. O importante é acreditar no que está fazendo", contou.

Oscar

Benício Del Toro desconversou sobre o favoritismo para levar o Oscar em 2009, "Sou favorito? Não tenho expectativas quanto a isso. Ganhar o Oscar foi maravilhoso (por seu personagem em "Traffic") porque é muito bom o ator ser reconhecido, já que somos inseguros e vamos somente por instinto", disse.

Fonte - MBPress

Comente