Bailinho é sinônimo de balada

Bailinho no Rio de Janeiro

Bailinho, no Rio de Janeiro, a esquerda Luana Piovani (foto Divulgação)

Quer se divertir no melhor estilo “bailinho”, com celebridades ao redor? No Rio de Janeiro você pode. Por lá, o ator e DJ Rodrigo Penna recebe todo tipo de gente nas festas que organiza. O agito se parece muito com as festas da época de colégio - as “festinhas no play”, como Rodrigo gosta de dizer. Ele lembra ainda que não é preciso levar um prato de doce ou salgado - apenas ir com a leveza para curtir gente querida, correio elegante, biscoito da sorte com poema e boa música.

O “Bailinho” nasceu em setembro de 2007 como uma festa de verão e de bairro. Hoje se reinventa em qualquer estação e local, e já está na terceira casa carioca.

O projeto retoma um estilo de baile praticamente esquecido, onde a palavra de ordem é misturar os estilos, sem a ditadura da exclusividade de gêneros musicais. A festa acontece sempre aos domingos - cedo, pelas 19h, por que segunda-feira é dia de trabalhar - e recebe muitos convidados célebres. Du Moscovis, Luana Piovani, Zélia Duncan, Natália Lage e Lulu Santos são alguns dos que já aprovaram a fórmula de Rodrigo.

Bailinho no Rio de Janeiro

Bailinho, no Rio de Janeiro (foto Divulgação)

“A idéia é mesclar ritmos atuais com melodias antigas, mas totalmente inesquecíveis”, diz Rodrigo, o mestre da baladinha. Nas pick ups, dois ou três DJ dividem a responsabilidade com ele - e vale tudo. Frank Sinatra e Hot Chip. Luiz Gonzaga e Michael Jackson. Tudo para fazer misturar e agregar.

Hoje, o Bailinho de Rodrigo deixou de ser um evento de verão e pode acontecer o ano todo. Atualmente acontece no Clube 69, a uma quadra da praia de Ipanema, mas em breve vai invadir outras cidades. São Paulo já teve a sua versão recentemente! “No Bailinho você vai ouvir de tudo. É só uma festa, acredite. Mas tudo pode acontecer”, provoca o DJ.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente