Atletas que já sofreram racismo

Veja aqui atletas se sucesso que já sofreram racismo no esporte
atletas racismo

Ângelo Assumpção, Rafaela Silva, Daniel Alves.. a lista é longa e mostra que nosso país ainda precisa evoluir muito quando o assunto é racismo

Até onde o racismo vai no Brasil? Além da injúria racial precisar ser combatida diariamente nas ruas, nas empresas e até na televisão, ele também precisa ser combatido no esporte, com representatividade e mais respeito da torcida e dos adversários. Nosso povo, um dos mais miscigenados do mundo, ainda precisa entender que racismo é crime e que este tipo de atitude não merece espaço.

Veja abaixo atletas que já sofreram racismo e que, apesar das injustiças, mostraram que são muito mais fortes do que o preconceito da sociedade.

Ginasta Ângelo Assumpção

Ângelo Assumpção

Espero que seja campeão dentro e fora do tablado, diz alvo de injúria racial de Nory. Foto: RicardoBufolin--CBG

Nesta semana o ginasta Arthur Nory protagonizou junto com Diego Hypólito um grande ganho para a ginástica artística brasileira: medalhas de prata e bronze! Porém Arthur, que ficou com a de bronze, embora tenha recebido o carinho da torcida brasileira no primeiro momento, logo teve sua imagem comprometida - por ele mesmo - graças à um episódio de racismo que aconteceu há cerca de um ano atrás.

A internet relembrou o caso e logo a medalha de bronze do atleta começou a ficar, digamos, ofuscada.

A situação de racismo protagonizada pelo atleta contra o colega Ângelo Assunção, o único negro da seleção brasileira de ginástica, foi lembrado com pesar pelos brasileiros.

"O saco do supermercado é branco, o de lixo é preto por quê?", perguntava Arthur Nory – até então conhecido como Arthur Mariano (seu segundo sobrenome) – em vídeo publicado em sua conta no Snapchat em maio do ano passado. 

Com a repercussão negativa, Nory teve sua conta no Snapchat suspensa pela rede social. A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) afastou os atletas, que admitiram o erro e gravaram um vídeo com um pedido de perdão a lado de Ângelo Assunção. "Gostaríamos de pedir sinceras desculpas ao nosso amigo", diz Nory. Assunção também aparece minimizando o episódio: "A gente é amigo e sempre tá brincando um com outro".

Em entrevista neste domingo, com o bronze reluzindo no pescoço, o agora medalhista agradeceu à torcida e declarou: "Sempre aprendemos com os erros, sempre. E isso vale também para a ginástica. Eu cresci bastante, amadureci bastante. Não é querer ser o melhor só ali dentro, no treino, é querer ser melhor como pessoa também".

Pois é Arthur, esperamos te quenha aprendido com seus erros...E o que aconteceu com Ângelo Assumpção? Mais uma injustiça. Depois de sofrer crime de racismo e ser cortado da Olimpíada realizada no seu próprio país, Ângelo postou no Instagram: “Foi um ano muito difícil pra mim , um ano que tive que superar várias dificuldades e aceitá-las. Tudo passa… Ontem fui assitir a ginástica que continua crescendo e sempre dando orgulho para todos os brasileiros. Parabéns pra todos os atletas e continue com o trabalho duro.”

Pelos comentários na foto de Ângelo já dá para perceber que ele é merecedor da vitória nas próximas olimpíadas, assim como a medalha de ouro no judô Rafaela Silva, exemplo feminino! Estamos com você Ângelo!

Judoca Rafaela Silva

Rafaela Silva

Rafaela Silva sobre sua vitória: 'É um preto que está dando alegria ao povo agora'

Falando nela, Rafaela Silva foi uma prova de que é possível dar a volta por cima do preconceito e mostrar a que veio com toda a garra!

"A macaca que deveria estar na jaula, como fui chamada em Londres, saiu e veio ser campeã olímpica", disparou a judoca Rafaela Silva, quando conquistou a primeira medalha de ouro do Brasil, nos Jogos do Rio de Janeiro. Quatro anos antes, ao ser eliminada, foi vítima de xingamentos racistas que quase a fizeram desistir do esporte.

Veja aqui mais sobre a trajetória vitoriosa de Rafaela Silva. Na entrevista abaixo ela conta como venceu o racismo e quais seus futuros planos para combater o racismo no esporte. QUE EXEMPLO!

Nadadora Joanna Maranhão

Nadadora Joanna Maranhão

Nadadora Joanna Maranhão falou sobre o racismo que sofreu.

A nadadora Joanna Maranhão concedeu no início deste mês uma entrevista que se transformou em um poderoso depoimento representativo. Após ser eliminada da fase classificatória dos 200 metros borboleta dos Jogos Olímpicos, Maranhão revelou os ataques preconceituosos e machistas que vem recebendo através das redes sociais.

“Ontem à noite foi o dia mais difícil para mim. Tentei ficar fora de rede social, mas fui no Facebook e vi uma enxurrada de críticas, ataques. Alguns dizem que eu merecia ser enxurrada, que minha história é uma grande mentira. Eu tentei segurar a onda, mas agora eu desabafei. E muito duro receber”, desabafou.

Ela então citou a colega Rafaela Silva:

“Esses perfis que nos atacam não sabem o sufoco que passa o atleta brasileiro. A Rafaela Silva, há quatro anos, não tinha nada, mas com a ajuda dos programas assistenciais, conseguiu essa medalha”, comentou.

E depois ela ainda resumiu as ondas de injustiças que ocorrem no Brasil:

“O Brasil é um país muito racista, preconceituoso, racista, homofóbico, voltado ao futebol, e os ataques que são feitos lá as pessoas pensam que não afeta. Eu sempre me posicionei politicamente, porque sinto que todo ser humano tem um papel a fazer, mas eu quero um país para todo mundo. Não quero que a Tais Araújo seja chamada de ‘macaca’, que a Rafaela Silva seja chamada de ‘decepção’, amarelona'”.

Força para Lutar Joanna! #RacismoNãoPassará

Goleiro Aranha

rafaela silva goleiro aranha

Rafaela Silva e goleiro Aranha são exemplos do esporte na luta contra o racismo.

Mario Lúcio Costa, mais conhecido como Aranha, enfrentou ofensas racistas durante uma partida entre seu ex-clube, Santos e o Grêmio em 2014. O arqueiro foi insultado no final da partida por torcedores na Arena, em Porto Alegre. Câmeras flagaram uma torcedora claramente chamando Aranha de macaco e o resto do grupo fazendo sons que lembravam o animal. Agora, engajado junto com Rafaela Silva na campanha #PorOlimpíadasSemRacismo ele quer mais do que tudo que estes e outros episódios não passem batidos.

Jogador de futebol Daniel Alves

daniel alves racismo

Daniel Alves mostra o símbolo da hastag #somostodosmacacos

Durante um jogo de futebol entre o Barcelona e o Villarreal, na Espanha, o jogador brasileiro Daniel Alves foi vítima de racismo. O atleta viu uma banana ser arremessada da arquibancada em sua direção no momento em que se preparava para cobrar um escanteio. Na época, nos explicamos o caso de racismo de Daniel Alves e falamos sobre a hastag #somostodosmacacos.

Como denunciar o racismo?

Existem muitas formas denunciar o racismo. É possível prestar queixa nas delegacias comuns e especializadas em crimes raciais, presentes em algumas capitais e também prestar queixa online.

Veja abaixo endereços para o envio de denúncias de racismo:

Por Thamirys Teixeira

Comente