As várias personagens de Patrícia Pillar

Patrícia Pillar

Foto - Fabrício Mota/TV Globo

Patrícia Pillar mostrou mais uma vez todo seu talento e sua majestade como atriz. Sua interpretação em “A Favorita”, da Globo, na pele da vilã Flora, surpreendeu a todos. Mas, não é só com um papel que se faz uma boa atriz. Sua trajetória na dramaturgia teve início em 1985 e desde então ela conquista cada vez mais prestigio e admiração do público.

Confirma as personagens que ela já interpretou:

A principal vilã do momento, a Flora, de “A Favorita” é protagonizada por Patrícia Pillar. A atriz recebeu o "Prêmio Quem" como melhor atriz de novela de 2008 e também foi considerada a "Personalidade do Ano" pelas revistas "IstoÉ", "IstoÉ Dinheiro" e "IstoÉ Gente".

Em 2006, Patrícia encarnou a dramática personagem "Zuzu Angel", no longa dirigido por Sérgio Rezende. Na trama, a estilista teve seu filho Stuart Angel (Daniel de Oliveira) torturado e assassinado pela ditadura militar. Ela tem um fim trágico em um acidente de carro forjado pelos militantes do exército em 1976.

Na Novela “Sinha Moça”, da Rede Globo, ela interpretou a delicada e tímida Cândida Ferreira - A Baronesa de Araruna. Patrícia contracenou ao lado de Osmar Prado, que era seu marido e Barão de Araruna, e Débora Falabella, que era sua filha Sinhá Moça.

Uma das séries de maior sucesso da Globo, exibida em 2005, “Os Amadores” também contou com a participação de Patrícia Pillar. Ela fez uma ponta na comédia dramática na pele de Lena. A personagem era casada com Marquinhos, (Cássio Gabus Mendes), que era fã incondicional do herói japonês National Kid.

Patrícia Pillar

Renato Rocha e João Miguel Júnior/ TV Globo

Em 2004, Patrícia Pillar fez parte do elenco da novela "Cabocla", da Globo. No folhetim, ela deu vida à Emerenciana, mulher do coronel Boanerges (Tony Ramos). Simples, prática e cativante, com bom coração e sempre disposta a se doar pelos. De pulso forte e atitudes sábias, era uma excelente dona de casa.

A atriz também fez uma participação na série “Carga Pesada”, da Globo, em 2003. Patrícia interpretou Rosa e teve um romance com o caminhoneiro Pedro, vivido por Antônio Fagundes. Stênio Garcia interpretou Bino, também caminhoneiro e amigo de Pedro.

Em 2001, Patrícia Pillar fez seu primeiro papel como protagonista, na novela "Salomé". No entanto, a sensualidade da personagem ficou só na promessa, devido ao horário em que a novela era apresentada: às 18h. A trama não agradou o público. É considerada até hoje um dos maiores fracasso da emissora

Patrícia Pillar

Fotos - Renato Rocha e Márcio de Souza/ TV Globo

Quem não se lembra da sua brilhante atuação em "O Rei do Gado", da Globo? Na pele de Luana, uma bóia-fria que deixou o campo para viver com o patrão Bruno Mezzenga vivido por Antônio Fagundes. Com esse papel Patrícia colheu bons frutos e mostrou seu talento na dramaturgia, ganhando o prêmio de melhor atriz pela revista "Contigo".

Não é só na novela “A Favorita” que as personagens de Patrícia Pillar e Glória Menezes estão em lados opostos. Em 1990, Patrícia viveu Alaíde, na novela “Rainha da Sucata”. Na trama, ela se relacionava com Rafael, o filho renegado dos Figueroa, interpretado por Maurício Mattar, e despertou a fúria de Laurinha, vivida por Glória Menezes.

O ano de 1985 foi o ano em que Patrícia Pillar tornou-se conhecida publicamente pela sua atuação em “Roque Santeiro”, na Rede Globo. De autoria de Dias Gomes, o papel interpretado por Patrícia foi Linda Bastos. Ela era uma atriz que foi para a cidade de Asa Branca para atuar em um filme que contaria a história de Roque, interpretado por José Wilker.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente