Ary Fontoura: sucesso na TV e no cinema

Ary Fontoura

Foto - Arquivo MBPress

Ator consagrado da Rede Globo, Ary Fontoura vem arrancando elogios da crítica por causa do seu personagem Silveirinha, em "A Favorita". Ao longo da carreira, ele já atuou em 45 novelas, e mais de 15 filmes, além de várias participações em minisséries e peças teatrais.

Sobre "A Favorita", o ator é só elogios para João Emanuel Carneiro, o autor da obra. "Ele tem uma capacidade incrível de fantasiar e de criar", disse. Intérprete de um personagens envolvidos na rixa entre Donatela (Claudia Raia) e Flora (Patrícia Pillar), Ary Fontoura acredita que a revelação da assassina trouxe ânimo para a novela.

Já na telona, ele está irreconhecível no papel da personagem Dona Dina, a velhinha atrapalhada do filme "A guerra dos Rocha", que acaba de ser lançado em todo o Brasil. Para interpretar a senhoria, Ary teve que passar por muita maquiagem, cortar as sobrancelhas, colocar peruca e seios, além de pintar as unhas.

Veja a entrevista:

Qual o personagem mais marcante na sua carreira? E a novela?

"A Favorita" é a minha 45ª novela. São muitos personagens marcantes, sobretudo quando a Globo apresentava novelas às 22h. Era muita gente criando e eram histórias interessantes. O Dias Gomes e a Janete Clair eram grandes autores. "Assim na Terra Como no Céu" é uma das novelas mais marcantes da minha carreira. O João Emanuel (autor de "A Favorita") é um discípulo da Janete, ele deu um ânimo novo para a novela. Ele consegue ser tão interessante quanto os autores das tramas daquela época.

Como foi trabalhar no cinema brasileiro?

Fiz cerca de 20 filmes, mas a carreira na televisão impediu de me dedicar ao cinema, já que ele requer tempo integral. Foi uma opção, mas também, somente por estes tempos que o cinema teve uma retomada.

Qual é a sua relação com o teatro? Pretende fazer alguma peça?

Eu sempre alterno uma peça e uma novela. Gosto do teatro porque é lá que o autor aprende de verdade. A televisão toma muito tempo, mas os três possuem características diferentes. Não é nenhum bicho de sete cabeças e você acaba aprendendo os mecanismos, mas acho que o teatro é o principal. Assim que acabar a novela pretendo estrear outra peça. Estou procurando um texto, quero fazer comédia, mas está muito difícil porque a cada dia menos pessoas estão escrevendo bons textos para o teatro.

O que você achou das críticas que o autor de “Os Mutantes” direcionou à novela “A Favorita”? (Tiago Santiago disse que revelar a assassina antes da hora era ato de desespero, apenas para chamar audiência) Qual a sua opinião sobre esse comentário?

Eu acho que esta é uma crítica desesperada deste autor. A reviravolta na novela, a revelação da assassina foi uma forma de trazer ânimo para a trama. Foi uma atitude corajosa do João Emanuel. Fora que a audiência e os objetivos comerciais estão sendo alcançados. O Tiago Santiago também é um autor muito bom, foi apenas um ponto de vista.

Fonte - MBPress

Comente