Artistas voltam a fazer sucesso depois de pagar micos

O mico vale a pena

Comercial do Fiat Cinquecento. Reprodução Youtube

O que Ricardo Macchi, Byafra, Beto Barbosa e Túlio Maravilha têm em comum? Fácil: ultimamente os quatro voltaram a fazer sucesso depois que se tornaram alvos de tiração de sarro em comerciais de televisão. Mas não pense que isso é humilhante para eles, viu?

Ricardo Macchi, conhecido por seu personagem monossilábico, o cigano Igor de "Explode Coração", de 1995, voltou a virar assunto depois estrelar um comercial de uma marca de automóvel ao lado do ator de Hollywood, Dustin Hoffman. O objetivo da propaganda é provar que tamanho não é documento. Afinal de contas, o ator americano tem 1,65 cm e já ganhou dois Oscars, enquanto Macchi tem 1,90 cm e fez apenas um folhetim de sucesso.

Byafra, que marcava presença nos palcos do "Cassino do Chacrinha", nos anos 80, cantando "Sonho de Ícaro" também não pode reclamar. Sua carreira voltou a decolar depois que interpretou um "espanta-ladrão" no comercial de uma empresa de seguros. Segundo a revista Época, o cantor teve sua agenda de shows triplicada. Um novo CD deve sair em outubro e até uma biografia está sendo cogitada.

A lambada não faz mais sucesso, mas Beto Barbosa não ficou muito tempo esquecido. Depois de relembrar o movimento brega em um comercial de cerveja ao cantar "Adocica" ao lado de um carinha com sunga de crochê, pochete e blazer de ombreira, os shows do "Rei da Lambada" ganharam força.


O jogador Túlio Maravilha também se deu bem. Disposto a alcançar a marca dos 1.000 gols, ele foi convidado para ser garoto-propaganda da Volkswagen. Adivinha de qual carro? Gol! O comercial divertia o público ao anunciar que a montadora ajudaria o atleta a alcançar a tão sonhada marca.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente