Ana Hickmann é capa da 300ª edição da VIP

Ana Hickmann é capa da 300ª edição da VIP

Foto: divulgação.

Se o que a revista VIP queria para sua 300ª edição era misturar glamour com sensualidade, não poderia mesmo ter escolhido melhor. Ana Hickmann, que já havia participado de ensaio na publicação em 2006, voltou à capa e se divertiu com o resultado.

"A primeira capa foi sexy, mas desta vez ficou bem mais abusado", garantiu. Na entrevista que concedeu à revista, disse ainda que está satisfeita com o corpo que tem hoje - e prefere se ver no espelho com as curvas de agora. "Na época de modelo, era um cabide para vestir roupa. Hoje tenho um pouco mais de curvas e de bumbum, mas não deixei de ter a cinturinha que gosto. Hoje tenho este corpo por prazer. Antes era obrigação. Estou bem mais gostosa, com certeza".

Sobre como faz para manter a forma, Ana revela que corre, malha e dança. "Quero voltar a praticar luta também. É ótimo para aliviar o estresse". Segundo ela, na época das passarelas pesava 58, 59 quilos, distribuídos em 1,86 m de altura. "Em janeiro desse ano, me pesei e estava com 72 quilos", contou.

Ana garantiu ainda que homem gosta de mulher magrela sim. "Eu sou uma magra com curvas. Não sou assim gostoooosa. Mas não tenho vergonha de usar aquilo que tenho. A mulher cuida do corpo para ser magra porque sabe que com o passar do tempo tudo cai. E se você for muito gostosa, essa gostosura toda depois se transforma em outra coisa".


A loira de pernas compridas apresenta o programa "Tudo é Possível", aos domingos, na Record. E acha que contou com a sorte na abertura das oportunidades. "Soube aproveitá-las e batalhei muito para melhorar cada gesto que não sabia como fazer. Fui buscar informação, me aperfeiçoar, e continuo fazendo isso. Ser apenas bonita não faz nada acontecer".

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente