A passarela da vida de Clodovil

A passarela da vida de Clodovil

Foto Arquivo MBPress

Sofisticação, humor fino e inúmeras polêmicas. Essas são algumas das características que compunham sua personalidade. Clodovil Hernandes nasceu no ano de 1937, na cidade de Elisiário, interior de São Paulo. No entanto, sua vida não foi feita de glamour apenas. Ele nunca chegou a conhecer seus pais biológicos e acabou sendo adotado por um casal de imigrantes espanhóis, ainda criança.

O futuro estilista foi estudar em um colégio interno católico, onde desenvolveu o gosto pela cultura, arte e moda. Nos anos 60, passou a ser conhecido publicamente como um dos maiores estilistas da alta-costura da época. Em 1968, já mostrava ar sofisticado e estilo próprio. O que o possibilitou ter contato com outros estilistas e fashionistas da época, como Ronaldo Esper, Lino Villaventura e Dener Pamplona de Abreu, seu principal concorrente no mundo da moda.

Mesmo com tantos nomes de peso para competir com ele por um lugar ao sol no mundo da alta costura, Clodovil se destacava por seu olhar dinâmico e ousado.

Não só de costura viveu o estilista, que também pode ser chamado de showman. Seu sucesso na moda lhe abriu portas para a televisão e a imprensa queria saber quem era o estilista de história triste, mas de muita atitude não só na agulha, mas na vida também. E nos anos 80, Clodovil assumiu a linha de frente do programa “TV Mulher”, da Rede Globo, ao lado da ex-prefeita de São Paulo e sexóloga Marta Suplicy.

Depois de conturbada passagem pela Bandeirantes, estréia na TV Manchete o "Shopping Show"; em 86, ganha o programa "Clô, Para os Íntimos", na mesma emissora; em 88, chama a Assembléia Constituinte de "prostituinte" e é demitido.

Participou ainda da criação da Associação de Arte Moderna Brasileira. Em seguida, ele passou pela CNT/Gazeta com o programa “Clodovil Abre o Jogo”. E depois voltou a Bandeirantes com o programa “ Clodovil Soft”. Para aterrissar no “A casa é sua”, da Rede TV, em 2003.

Sem papas na língua, o estilista causou muita polêmica durante sua carreira, fazendo algumas inimizades como a vereadora Claudete Alves, a quem chamou de “macaca de tailleur metida a besta”. E teve que pagar indenização por danos morais, no programa “A Casa é Sua”.

O ano de 2005 foi marcado por sua demissão da Rede TV. E o anúncio na imprensa de que iniciaria um tratamento contra câncer de próstata.

Não satisfeito apenas em fazer parte do mundo de celebridades, Clodovil decidiu entrar na vida política; Em 2006 foi o terceiro deputado federal mais votado de São Paulo, pelo PTC. Mas como sempre, se meteu em diversos escândalos agora no âmbito político. Sua saúde começou a apresentar sinais de fragilidade, e no ano de 2007, Clodovil sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico e foi internado no Hospítal Sirio libanês.


A saúde de Clodovil continuou piorando e no ano de 2008 ele foi internado no Hospital Alemão Oswaldo Cruz com dores devido a uma embolia pulmonar.

Na última segunda-feira, 16, o deputado foi encontrado caído ao lado da cama, por um funcionário da casa onde residia em Brasília. Foi levado para o Hospital Santa Lúcia, Distrito Federal, onde foi confirmada a morte cerebral de Clodovil Hernandes, aos 71 anos.

O velório está acontecendo no Cemitério do Morumbi, em São Paulo, nesta quarta-feira (18). O sepultamento será no mesmo local, no fim da tarde.

Po Cínthya Dávila (MBPress)

Comente