Você vive uma relação de comodismo? Descubra!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
comodismo

Foto - Shutterstock

Namorar por comodismo pode parecer algo improvável para muitos casais, mas a verdade é que esta situação é bem comum, apenas não nos damos conta ou não queremos assumir que isso acontece ou já aconteceu com a gente pelo menos uma vez na vida.

A relação que chamamos de cômoda acontece com o tempo. Por termos medo de ficar só, mantemos relações já desgastadas, nas quais já não existe mais prazer, muito menos a felicidade. Assim, aceitamos a situação que nos é proposta e paramos de enxergar novas oportunidades.

Agora, pare e pense: Quantas relações, hoje, devem viver na base do comodismo? Pesquisas mostram que é bem comum casais permanecerem juntos, mesmo não satisfeitos no casamento ou no namoro.

E, se você pensa que isso é uma atitude peculiar dos homens, saiba que muitas mulheres também têm receio de ficarem para "titias", principalmente, quando todas suas amigas já estão amorosamente estáveis.

Juliana Santos, de 29 anos, contou que viveu uma relação de comodismo com um antigo namorado por medo de não achar outra pessoa tão bacana. "Me dei conta desta situação quando meu namorado não era a minha prioridade nem para sair."

Falta de compreensão, de companheirismo, diálogo, respeito e de confiança são fatores que levam uma relação à ruína. Por isso, reflita se este pacote de "cuidados do amor" ainda existe entre você e seu parceiro.

Nada de ficar com alguém só porque o Dia dos Namorados está chegando e tem medo de ficar sozinha nesta data, hein? Afinal, dia 12 de junho, é abertura da Copa do Mundo 2014. Saia com os amigos e divirta-se!


  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente