Vítimas de estupro terão provas recolhidas no hospital

Vítimas de estupro terão provas recolhidas no hosp

Foto: Vladimir Godnik/moodboard/Corbis

A partir de Agosto médicos de hospitais de referência em saúde da mulher de todo o Brasil serão treinados para coletar todo tipo de prova que possa incriminar os estupradores. Além do sêmen, eles poderão recolher outros tipos de materiais que ajudem a identificar os criminosos. A iniciativa é da Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Até então, para recolher materiais como sêmen, pele, sangue ou qualquer outro material que ajude a incriminar o estuprador a mulher deveria ser encaminhada por um delegado ao IML (Instituto Médico Legal).

Em entrevista, a secretária nacional de enfrentamento à violência contra as mulheres, Aparecida Gonçalves, disse que a vítima de estupro corre para o hospital a fim de fazer uma contracepção de emergência e tomar os remédios que a impedem de pegar DSTs e AIDS. Porém, não vai com a mesma velocidade à polícia. E quanto mais ela demorar, menos provas poderão ser coletadas.

"Isso, muitas vezes, garante a impunidade do estuprador", lamenta. Por isso, se mostra esperançosa com a nova medida. "Esperamos resultados muito bons, até porque o estuprador não costuma estuprar só uma mulher. Aumentando a quantidade e a qualidade das provas, vamos descobrir uma cadeia ampla de vítimas e temos muito mais chances de fazer o criminoso ser punido", acredita Aparecida.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente