Viajar ou não com o peguete no ano novo ou férias?

Viajar ou não com o peguete no ano novo ou férias

Foto: Heros/Corbis

Você conheceu um gato lindo, simpático, interessante, divertido e inteligente há algumas - sem falar que está vivendo na melhor fase do relacionamento: a descoberta - e, muito antes disso, já havia marcado uma viagem, seja com os amigos ou um pacote promocional de final de ano pensando apenas em descansar e, agora, não sabe se convida ou não o ‘peguete’ para te acompanhar, o momento da decisão está bem perto.

Antes de qualquer coisa é preciso ‘sondar’ o gato e ver se ele já tem os planos. Quando eles ainda estão indecisos ou não programaram nada, a probabilidade de topar as suas sugestões são bem maiores, principalmente se estiver realmente a fim de te conquistar.

Então, se você realmente gosta dele e, vai estar lá mesmo, à toa, de férias, o convite não vai custar nada. E nada de encanar se ele disser não, vilamigas. É preciso lembrar que o final de ano tem toda uma cobrança ‘familiar’ e, mesmo nessa época do ano, às vezes não dá para driblar a rotina de trabalho para dar uma escapadinha.

No entanto, se a viagem envolver os familiares, a cautela deve ser um pouco maior e você deve avaliar se ele realmente é a pessoa que você construir algo, nem que seja apenas uma breve história. Não estamos falando que o convite só deve ser feito se achar que vai casar com o gato, mas também não vale a pena estreitar o relacionamento dessa forma com um ‘casinho qualquer’, não é mesmo?

E aí, está vivendo uma situação parecida? Deixe o seu comentário e conte-nos qual foi a sua decisão.

Por Paula Perdiz

Comente