Vampiros emocionais

Conheço várias histórias de vampiro, mas o que mais me preocupa, sem dúvida, são os que sugam energia dos outros. Existem vampiros emocionais em todos os tipos de relacionamentos, mas os de relacionamento amoroso sempre são meio problemáticos de se lidar, pois é difícil conseguir se dissociar deles, já que eles não querem se desfazer de suas fontes de energia e quem está sendo drenado também se acostumou a isso.

Para mim, o que caracteriza um vampiro de emoções amorosas é o fato de uma pessoa se envolver com outra que está dependente, carente, sozinha, precisando de atenção e de carinho. Alguns indivíduos são tão bons no seu fazer vampiresco que só se envolvem com mulheres e homens em situação de risco. (A situação de risco é a descrita acima, de carência extrema).

Eu mesma vivi essa situação de estar carente e me considero vítima do vampiro. Claro que não sabia que o outro era um espécime desses. Descobri isso apenas quando ele já estava com outra namorada, um tempo depois do fim de nosso relacionamento. O que me fez ter consciência disso foi o fato de ela estar exatamente como eu estava quando começamos a sair. Percebi que aquele indivíduo era especialista em arrumar mulheres carentes para que elas se envolvessem mais profundamente com ele, numa relação de dependência. Eu estive nessa relação, por isso posso falar disso sem medo.

Confesso que passei meses presa nessa reação estranha, em que me sentia constantemente drenada de energias; contudo, mais apaixonada (provavelmente, quanto mais fraca, mais dependente ficava). Um dia, mais fortalecida, percebi, nem sei como, que estava indo para o buraco. O ponto final veio com um erro do meu vampiro, que já notara minha força crescendo e estava se distanciando.

Safar-se de um vampiro não é fácil. Ainda que estivesse formalmente livre, sofri meses antes de emocionalmente me libertar. Como costumo dizer, ajuda profissional é de fundamental importância para superar esse tipo de relação que nos prende a outra pessoa. E não é problema algum procurar ajuda, pois ficar presa a algo desse tipo pode nos levar a círculos viciosos de relacionamento em que procuramos sempre na aceitação do outro a nossa satisfação.

p.s.: Evite, evite, evite vampiros, ainda que eles sejam lindos como Louis, Lestat, Edward, Bill e Eric (de Entrevista com o Vampiro, Crepúsculo e True Blood).

p.s.2: Nada de Angel, também (quem não lembra do vampiro de Buffy? Lindo!)

Comente