Traição on-line

Traição online

A comunidade do Vila Mulher tem levantado temas interessantes para debate. No Termômetro da Relação, há um comentário (anônimo) sobre o que pode ser considerado traição no mundo virtual.

Afinal, um relacionamento estável pode ser ameaçado pela descoberta que seu companheiro faz sexo virtual por MSN, webcans ou sites especializados? Nossa amiga Butterfly foi categórica na sua análise: “Ai gente que desculpa mais esfarrapada...eu não aceito uma coisa destas...se tiver um namorado e ele quiser ficar olhando pornografia na internet prefiro ficar sozinha...Isto para mim é falta de respeito com a companheira...”

Imagine um dia encontrar no computador um histórico de conversas de seu companheiro com outras mulheres via internet. Não conversas normais, mas bate-papos com conteúdos eróticos. Como você reagiria?

Isso aconteceu com Fernanda*. A estudante de publicidade passou por momentos delicados em seu namoro de quatro anos. Desconfiada de que havia algo errado, ela resolveu salvar em uma pasta oculta no computador do namorado todo o histórico de conversas do Messenger. Resultado: Fernanda encontrou o que não queria. “Estava lá na minha frente. Enquanto eu não estava com ele, ele conversava com uma menina virtualmente. Nossa, foi horrível, chorei muito, xinguei ele de tudo quanto é nome”, conta. O conteúdo dos textos não agradou nem um pouco a estudante. Eram conversas recheadas de frases eróticas e até mesmo com tons amorosos.

A jovem, então, imprimiu o histórico e decidiu colocar o amado contra a parede para ele explicar melhor tudo aquilo. “Ele disse que foi coisa de momento, começou de brincadeira e ficou legal, mas nunca tinha pensado em me trair fisicamente. Eu odiei, gritava dizendo que ele já tinha me traído, terminei tudo na hora”, lembra. Mas reatou tempos depois. “Resolvi dar uma chance, mas hoje estou de olho. Se ele fizer isso de novo, já era”, declara.

A psicóloga Laudilene Pinto Moreira não considera uma traição propriamente dita um relacionamento virtual, mas é traição por outro motivo. “Não é carnal, mas é traição porque a pessoa está fazendo algo escondido. E tudo aquilo que você esconde, trai a confiança do outro”, diz.

Ainda de acordo com a especialista, algumas pessoas procuram esse tipo de relacionamento, pois gostam da sensação de não serem vistas. “Também tem comportamento social. As pessoas que se refugiam na internet têm dificuldade de se relacionar com os outros e preferem o meio virtual. Mas para as pessoas que não tem esse problema, o que atrai é a sensação do escondido, a adrenalina”, explica.

Karina Conde / MBPress

Comente