Solteiras sim, até no Dia dos namorados!

Solteiras sim até no Dia dos namorados

Tudo bem que o dia 12 de junho é dedicado aos casais apaixonados, mas não é são porque você não está em clima de romance que vai ficar em casa choramingando, né? Enquanto a sua cara-metade não aparece, o jeito é aproveitar a data para viver sua solteirice de maneira bacana, sem crises de depressão.

Kamila Silva, por exemplo, tem 30 anos e está solteira há pouco mais de dois. No próximo dia 12 de junho ela vai curtir sua própria companhia e festejar. "Passei oito anos namorando e tinha todo àquele ritual no Dia dos Namorados, sabe? Agora que estou sem namorar quero ficar mais comigo e sair com os amigos. Namorar é legal, mas estar sozinha também tem suas vantagens", afirma.

A profissional da área de tecnologia conta que tem várias amigas que ficam depressivas com a data, mas que esse sentimento definitivamente não faz parte da vida dela. "Não vou ficar em casa reclamando não! Depois de uma certa idade a gente amadurece e aprende a curtir esse momento, começa a não ligar para o fato de estar sozinha no Dia dos Namorados", pensa.

Para ela, neste dia os estabelecimentos ficam repletos de pessoas solteiras e dispostas a se divertir. No ano retrasado Karina passou a noite do Dia dos Namorados ao lado do primo num bar que tocava música ao vivo. "Foi ótimo. Enquanto os casais ficavam sentados eu estava na pista de dança super feliz", lembra.

No ano passado ela foi jantar. Sozinha. "Fui a um restaurante que servia comida italiana. Foi difícil conseguir uma mesa, mas me sentei, comi tudo o que eu tinha direito, tomei vinho e saí de lá realizada", conta. "É de lei: todo dia 12 de junho eu me dou um presente. Vou a um salão de beleza, janto fora ou saio com os amigos. Ninguém precisa de alguém do lado para ser feliz. A pessoa precisa ser feliz com ela mesma primeiro", conclui.

Quem também não pretende ficar em casa no Dia dos Namorados é a Ariane Rompato, de 25 anos. Todos os anos ela se reúne com as amigas na data para falar da vida e dar boas risadas. Se o dia 12 cair num final de semana, a reunião acontece numa balada. Se for dia de semana, todas vão para um barzinho mais sossegado.

"A gente se diverte, mas o assunto ex-namorado nunca escapa. Volta e meia tem uma de nós falando mal de relacionamentos passados ou reclamando que está encalhada", conta a assistente de controladoria aos risos. "O bacana de sair é que você tem a chance de conhecer outras pessoas na mesma situação."

Porém, este ano a reunião será um pouco diferente. Aproveitando que um amigo bem próximo faz aniversário justamente no dia 12 de junho, elas resolveram organizar uma festinha para reunir os amigos solteiros. A comemoração será num bar na zona norte de São Paulo. "A maioria da turma é composta por mulheres. Já temos confirmadas umas 15 pessoas", conta.

A assistente de eventos Aline Matsumoto, de 23 anos, também não pretende ficar em casa no dia 12 de junho. "Nunca fui dessas que se descabelam porque chega o Dia dos Namorados e está solteira. Nem das que fazem loucuras de amor quando estou namorando", afirma.

E decidiu: vai deixar de lado "A Liga", seu programa preferido na TV, para ir a um barzinho com as amigas. "Mas não farei isso para falar mal dos homens, nem pra paquerar gatinhos. É apenas para descontrair e aproveitar o bom da vida!"

Já a radialista Helisa Marques, de 35 anos, pensa diferente: "Sinceramente eu acho que Dia dos Namorados é o melhor momento para eu não colocar os pés para fora de casa. Nada de sair para arriscar encontrar bares e restaurantes lotados de casais felizes. Vou curtir minha cachorra, meu quarto e a televisão, de preferência assistindo a seriados policiais", diz.

A radialista pensa que sair com as amigas também não é uma boa opção. "Passear com mais um monte de mulher solteira é como assinar um termo ‘estamos encalhadas’ ou passar pela desagradável sensação de que alguns possam achar que somos lésbicas". Balada de solteiros também não passa pelos planos da solteira. "É igual sair com uma camiseta escrita ‘tô sozinha, me pega hoje’".

Helisa, entretanto, lembra que no dia seguinte (13) é dia de Santo Antônio, conhecido como o santo casamenteiro. Pensa que ela vai ficar em casa? Que nada! "Quem sabe ele não dá uma mãozinha, né? Vou até assistir à missa!", brinca.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente