Sogras e noras - relatos da comunidade Vila Mulher

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Sogras e noras  relatos da comunidade Vila Mulher

Foto - Frederico Rosário

O relacionamento entre sogras e noras rende histórias que dão pano para a manga. São livros, filmes, manuais de sobrevivência e muitas piadinhas. Algumas delas as classificam em grupos: sogra querida, intrometida, fashion e, imaginem, “dupla face”, do tipo que se faz de amiga, mas no fundo quer "puxar o tapete".

Na ficção, o exemplo mais atual talvez seja o das personagens de Laura Cardoso, Eliane Giardini e Cléo Pires, de Caminho da Índias. As três vivem em pé de guerra e não se cansam de bisbilhotar a vida da outra. Por trás dessa questão cultural, a rixa eterna entre mães e as mulheres de seus filhos esconde um simples fato: para as sogras, a nora representa a pessoa que tirou o seu filho de casa.

Na comunidade da Vila Mulher claro que esse assunto não passou batido. Recentemente, a Vilamiga Lia, publicitária e mães de dois filhos, soltou o verbo.

“Por mais que a você lave a louça nos almoços de domingo na casa dela - e são 20 convidados - e que ela se esforce para dizer que seu cabelo está ótimo, admita: vocês amam o mesmo homem, e isso as torna inimigas em potencial. Você é uma intrusa, a ladra da atenção do objeto do amor incondicional dela. Se ele for filho único, ou o mais velho no meu caso, você é quase uma destruidora de lares. Isso entendido, acenda uma vela para seu santo se sua sogra a respeita, porque gostar não é possível. Ou se pelo menos a loucura dela é administrável. Porque muitas vezes não é”.

O desabafo de Lia só poderia render vários comentários e conselhos, alguns desmitificando a rivalidade entre sogras e noras, afinal, pode existir sim uma boa convivência entre as duas, basta apenas ter jogo de cintura.

“Tenho 20 anos de casada e nunca deixamos ela interferir em nossas vidas. Ele já deixou bem claro para ela que nos ama com a mesma intensidade, mas de um jeito diferente”, comentou Néia .

Diferente de Lia, algumas mulheres chegam a conviver diariamente com a sogra em casa, como é o caso de Ana, que se queixa da falta de privacidade. Recém-casada e morando com a sogra desde o início do casamento, ela se sente invadida e acredita que isso interfere na relação dos dois. Diante dessa situação, a comunidade Vila Mulher logo dá um conselho. “Akuariana” que também sente na pele o problema, diz:

“Que tal saírem do ambiente de casa, só vocês dois, procurar ter um momento único entre vocês. Dentro de casa não dá pra ter diálogo devido a presença dela. Saia dai, chame ele pra passarem uma noite juntos”, sugere.

No final das contas, o que vale mesmo unir as mãos e tentar conviver em harmonia, afinal, muito homens são o que são por causa de suas mamães. “Tente tirar proveito desse convívio. Não dispute com ela. Deixe ela te ajudar a cuidar dele e volte a ter uma família unida. Mude você e seja feliz”, finaliza a técnica de enfermagem “Day”, que mora em Salvador. Hoje pode ser um bom dia para isso, afinal, 28 de abril é o dia delas!

Por Juliana Lopes

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento sexo sogra nora conviver sogra