Sexo com hora marcada?

Sexo com hora marcada

Foto Photostock http://bit.ly/gdAJw0

Sexo ainda pode ser tabu para alguns, mas sempre vira tema de discussão, principalmente entre as rodinhas formadas pelos mais jovens ou pessoas de mente mais aberta, que deixam o público conservador de cabelos em pé com os novos conceitos que rodeiam as relações íntimas modernas.

Se para os mais tradicionais fazer sexo só depois do casamento é uma atitude prudente, para os mais modernos as relações casuais são "a bola da vez" e são capazes de abrir portas para um relacionamento sério. E o sexo com data e hora marcada pode ser considerado uma tática para quem deseja apimentar a vida a dois.

Quando o tema discutido é o sexo casual como possível ponte para algo mais sério, a psicóloga e psicoterapeuta cognitiva comportamental Gabriela Monéa pensa que a parte sexual passou a ser determinante para que o relacionamento siga adiante. "As mulheres sabem cada vez mais o que lhes dá prazer e o que querem num parceiro sexual e não aceitam mais o sexo apenas como um meio de reprodução ou de obrigação matrimonial", diz. "Elas são capazes de dar prazer ao parceiro, mas exigem reciprocidade."

A psicoterapeuta sexual Vânia Macedo, concorda: "Sem dúvida o desejo sexual agora tem sido visto como algo natural. Ouço muitas mulheres dizerem que preferem saber se há sintonia no sexo antes de investir na relação", diz. Dra. Vânia completa: "É fato que hoje observamos vários relacionamentos se iniciarem com uma boa cama, mas ainda há muitos casais que deixam o sexo para quando já conquistaram alguma confiança".

Porém, Dra. Gabriela ressalta que os rapazes mais conservadores e machistas não permitem que uma noite de sexo sem compromisso evolua para um relacionamento sério. Isso porque eles definem essas mulheres como "fáceis" e que não podem ser levadas a sério.

O que vai mesmo determinar se a relação casual tem chances de se fortalecer é a postura feminina. Segundo Dra. Gabriela, pelo fato de buscarem sua independência financeira e emocional, as mulheres se sentem no direito de escolher o que é melhor para elas, inclusive uma noite de sexo casual, apenas para ter um momento gostoso com alguém que escolheram. "Ao mesmo tempo, deixam claro que são mulheres de valor, responsáveis e conscientes das atitudes que tomam e que são merecedoras de estarem em um relacionamento sério com alguém especial", defende.

Felizmente, os homens estão mais à vontade com essa nova situação da mulher e se mostram mais interessados nas necessidades e interesses de suas parceiras sexuais. Mas é importante salientar que nenhum relacionamento consegue se sustentar apenas pelas afinidades sexuais. O sucesso do casal te também como ingredientes interesses em comum e temperamentos compatíveis.

E se o assunto é o sexo com dia e hora marcada, Dra. Gabriela acredita que essa medida reflete os tempos modernos. "Com a correria, a espontaneidade perdeu um pouco de espaço, sendo necessário aos parceiros entrarem em um acordo para que possam casar suas as agendas. Entretanto, se o casal encarar o sexo como um compromisso, ou só consegue ter relações com o gostinho da adrenalina ou em momentos inesperados, o envolvimento corre o risco dele ser mecânico", alerta.

Mas se a ideia de marcar dia e horário tem como meta aumentar a ansiedade do casal e garantir uma noite de prazer caprichada, Dra. Vânia diz: "A expectativa de fazer ‘bom sexo’ muitas vezes atrapalha na pegada ou na satisfação do prazer. Homens que planejam o desempenho muitas vezes falham na hora H pela autocobrança que fazem. Mulheres também podem perder o foco na exigência de se mostrarem ‘boas de cama’".


Essa situação, segundo Dra. Gabriela, não costuma acontecer entre casais que só conseguem ter relações sexuais com hora marcada, já que reservam um momento só para eles, quando deixam os filhos na casa da avó, conseguem uma folga no trabalho ou se encontrar depois de longo tempo separados. "Nesses casos, o encontro pode ser cercado de uma expectativa muito positiva e acontecer de uma forma satisfatória para os dois".

Para evitar este tipo de imprevisto, a psicóloga ressalta a importância de o sexo ser espontâneo e, por consequência, prazeroso. "O mais importante é curtir esse momento com intensidade, deixando os problemas, compromissos e outros assuntos do lado de fora do quarto. Doses de improvisação podem ser muito interessantes para apimentar o momento (uma lingerie especial, salto alto, um acessório erótico...). Já que o momento é programado, faça dele o mais improvável possível", recomenda.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente