Relacionamento à distância

Manter um relacionamento à distância não é tarefa fácil, mas alguns casais conseguem administrar a saudade, o ciúme e namorar mesmo assim.

Giuliana Bosso e Frank Ribeiro estão juntos há seis anos. A estudante de jornalismo e o administrador se conheceram em Presidente Prudente, no interior de São Paulo, quando ainda estavam no colégio. Para cursar a faculdade, ela precisou mudar de cidade, o que fez com que a convivência diária se transformasse em um romance à distância. Porém, os problemas começaram só depois de dois anos.

“Nem sempre eu estava podendo ir para Prudente e ele também não podia vir para São Paulo. Daí nos falávamos só por telefone e foi ficando complicado. Nos víamos uma vez por mês e olha lá”, conta a estudante.

Devido aos empecilhos provocados pela distância, eles decidiram terminar, mas o rompimento não durou muito tempo. No período de um ano que passaram separados, eles se encontravam sempre que possível e decidiram reatar. “Sentamos para conversar e falamos ‘vamos encarar essa’. Agora, estamos conseguindo nos ver praticamente todo final de semana”, comemora Giuliana. “Ainda pensamos em casar e morar juntos, assim que ela terminar a faculdade”, completa Frank.

O casal garante não sentir muito ciúme, por confiar um no outro. Para a estudante de jornalismo, “o que pesa na distância é a saudade e a conta do telefone celular”.

“Nós podemos sair, ver nossos amigos, é só avisar. Nunca aconteceu nada de escondido e não nos estressamos”, acrescenta ela. “Tem que ter confiança, senão o namoro não vai pra frente. Nós somos bem abertos, não escondemos nada”, afirma o administrador.

Confiança é o segredo da relação, de acordo com a psicóloga Graziele Armiliato Bazi. Namorar à distância sem confiar no parceiro é uma situação muito complicada. “A questão é da confiança dos dois. Quando você decide namorar à distância, a primeira coisa que precisa acontecer é isso. Caso contrário, esqueça”, aconselha a especialista.

A nutricionista Kênia Estanislau, que é noiva do médico veterinário Márcio Neves há três meses, acredita que o amadurecimento ajuda na relação do casal. Desde o início do namoro, eles passaram por muitos obstáculos. “Nos conhecemos no Carnaval da nossa cidade (Manhumirim, em Minas Gerais), quando nenhum dos dois morava mais lá. Depois de alguns encontros e muita conversa por internet, ele me mandou um buquê no Dia dos Namorados e começamos a namorar”, conta Kênia.

Quando o veterinário precisou se mudar para Florianópolis, capital de Santa Catarina, as brigas do casal começaram. “Eu não conhecia nenhum amigo dele e passei a sentir muito ciúme. Fiquei louca, neurótica, nunca tinha ficado assim”, confessa a nutricionista.

Após muitas idas e vindas causadas pelo ciúme de Kênia Estanislau, eles decidiram ficar noivos. Hoje, Kênia e Neves moram juntos e a insegurança da nutricionista foi embora. “Eu reclamava que ele não me dava atenção, mas ele dava e era eu quem exigia muito. Ele sempre pedia para eu voltar ao normal e confiar nele, pois queria estar comigo”, conta ela.

Fonte - MBPress

Comente